Mundo

Polícia encontra recipiente com agente neurotóxico que matou mulher britânica

O recipiente que continha o agente neurotóxico russo que contaminou dois britânicos na semana passada foi encontrado na quarta-feira, anunciou a polícia britânica.

"Uma pequena garrafa foi recuperada durante as buscas na casa de Charlie Rowley, em Amesbury. Foi levado para o Laboratório de Defesa, Ciência e Tecnologia (DSTL) em Porton Down, Wiltshire, para testes. Após esses testes, os cientistas confirmaram que a substância contida na garrafa é novichok", indicou a polícia em comunicado.

Os especialistas vão agora tentar confirmar se a substância é do mesmo lote que contaminou Serguei e Yulia Skripal em março, a principal linha de investigação da polícia. Depois de alguns dias em estado crítico, Charlie Rowley, de 45 anos, melhorou o estado de saúde.

No entanto, a companheira, Dawn Burgess, de 44 anos, morreu no domingo devido aos efeitos da substância química novichok, o que levou as autoridades a abrir uma investigação por homicídio.

A polícia desconfia que o recipiente esteja na origem do ataque a Serguei Skripal, um britânico de origem russa com 66 anos que tinha sido agente duplo dos dois países, e a filha de 33 anos, Yulia, de nacionalidade russa, no início de março na cidade vizinha de Salisbury.

As autoridades britânicas atribuíram a Moscovo a responsabilidade pelo ataque de março.

Lusa

  • Médicos nas prisões para rastrear e tratar reclusos com VIH e hepatites

    País

    Os médicos infeciologistas, gastrenterologistas e internistas vão passar a deslocar-se às prisões para cuidar dos reclusos infetados com VIH e hepatites B e C e vão realizar-se rastreios à entrada, durante e final da reclusão. Este modelo vai estar em vigor em 45 estabelecimentos prisionais do continente.

  • Gaza de novo à beira da guerra
    2:30