sicnot

Perfil

Opinião

Porque é que eu sou contra o vídeo-árbitro (ou como se isso interessasse alguma coisa...)

(Podia falar do Temer, da Venezuela, da geringonça ou do crescimento da economia, dos vídeos 'virais' - que abomino -, de Macron e da «nova» Europa, dos nacionalismos ou de outro tema bem mais importante e interessante. Mas quero ir contra a corrente e dizer porque é que sou contra o video-árbitro.)

Há vários anos, Rui Santos pediu-me para assinar uma petição a favor da instalação desta tecnologia.

Não assinei e expliquei-lhe porquê.

Aqui vai.

Bem sei que o futebol é hoje uma indústria, muito mais do que um desporto ou um jogo, como deveria ser.

Nada a fazer.

O vídeo-árbitro pode ajudar na verdade desportiva, trazer justiça a resultados e minorar o erro.

Concordo.

Mas.

Mas isso tira graça ao futebol.

O errro - ainda que seja do árbitro - faz falta.

E faz parte.

O futebol vai tornar-se (ainda) mais artificial - ou científico... - e cada vez menos um jogo.

(Tentar) iludir o árbitro é tão velho como... o jogo.

Por outro lado, ao ser colocado «apenas» nos campeonatos profissionais, a tal «verdade desportiva» vai estar, como sempre, ao alcance de uns poucos.

E, os outros, os pequeninos, vão continuar fora da «verdade desportiva».

Sim, eu sei do que falo.

Sou do Varzim.

Dirão: mas isto não é contraditório?

Não. Porque «ou há moralidade ou comem todos».

E, por isso, se a «verdade desportiva» chegar a todos, passa a ser um mal menor. Se chegar apenas a uns e não a outros é, apenas, uma fraude.

Mas.

Há mais.

Proponho, então:

- Que os penalties falhados sejam repetidos.(foi erro do avançado)

- Que os remates dentro da pequena área que vão parar à bancada contem como golo (foi erro do avançado)

-Que os «frangos» não sejam contabilizados e seja reposta a bola em jogo pelo guarda-redes humilhado

(os frangos são erros dos guarda-redes)

-Que por cada dez passes falhados seja marcado um penálti (como fazíamos no futebol jogado na rua, para simplificar, «aos três cantos é penálti...)

Se não, se é para ser assim, então mais vale que o futebol seja jogado por robôs.

Assim é tudo perfeito, tudo científico, tudo controlado.

Nem são precisos árbitros.

Não tem é graça nenhuma!

P.S. Também há razões de ordem técnica, como poderia explicar detalhadamente: posição das câmaras, condições atmosféricas, tamanho dos estádios, etc etc etc.

Mas esse é o menor dos meus problemas.

  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagas as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Presidente da Câmara de Nova Iorque confirma "atentado terrorista falhado"
    0:29
  • Israel volta a bombardear posições do Hamas em Gaza

    Mundo

    O exército israelita voltou a bombardear esta segunda-feira posições do movimento Hamas na Faixa de Gaza em resposta ao lançamento de projéteis em direção a Israel pelas milícias palestinianas, informou um comunicado militar.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.