sicnot

Perfil

Opinião

Responsabilidades políticas começaram com o primeiro Governo de Cavaco Silva

Responsabilidades políticas começaram com o primeiro Governo de Cavaco Silva

Miguel Sousa Tavares esteve esta segunda-feira na edição especial da SIC Notícias sobre a tragédia de Pedrógão Grande. O comentador da SIC diz que é preciso meditar sobre o "erro coletivo" do país, não pensar no futuro; e defende que as responsabilidades políticas deste incêndio começaram em 1987, com o primeiro Governo de Cavaco Silva. Miguel Sousa Tavares defende ainda que Portugal precisa de parar para pensar.

O comentador da SIC acredita que as responsabilidades políticas pelo estado da floresta portuguesa começaram em 1987, com o primeiro Governo de Cavaco Silva.

Miguel Sousa Tavares diz que o ministro da Agricultura desta altura defendeu o abandono da agricultura a "troco de indemnizações" e que o da Indústria e Energia defendeu a "eucaliptização" do país, lembrando ainda que o ministro disse que os eucaliptos eram "o nosso petróleo verde".

O comentador aproveitou até para deixar uma mensagem a Mira Amaral: "o seu petróleo não é verde, é da cor do fogo".

Para Miguel Sousa Tavares, estes fatores estão todos ligados, pois acredita que vamos ter cada vez mais incêndios em zonas que a agricultura foi abandonada e onde não há ninguém.

O comentador da SIC criticou ainda o país e, em especial, os políticos que "insistem em não aprender a lição".

Apesar de estarem criadas as condições atmosféricas "perfeitas" para uma ignição, isto não justifica a dimensão da tragédia, segundo Miguel Sousa Tavares. O comentador defende a prevenção da floresta e acredita que houve uma falha de previsão meteorológica relativamente aos incêndios.

Sobre os sistemas de comunicações para situações de emergência, o comentador diz que o sistema, apesar de ter sido muito caro na altura em que foi comprado, falhou e impossibilitou o combate dos incêndios da" melhor maneira".

O corte dos sapadores, que fazem um trabalho essencial na prevenção, é uma das críticas do comentador.

Por fim, defende a mobilização das forças armadas, para trabalharem na prevenção.

  • "A acusação de fogo posto serve para desculpar muitas coisas"
    3:52

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, a tragédia em Pedrógão Grande, que fez mais de 60 mortos, assim como os incêndios que estão a afetar o país. O comentador da SIC defende a expropriação dos terrenos rurais abandonados, sem indemnização, e diz que que os "grandes negócios" estão no combate aos incêndios e não na prevenção.

  • "Eu acuso a fileira florestal das celuloses e todos os governantes que pactuaram com ela"
    2:54

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, a tragédia de Pedrógão Grande, que fez mais de 60 mortos. O comentador da SIC diz que o sistema de comunicações de emergência e segurança falhou e defende que "estamos agarrados à burocracia do calendário do Diário da República, em vez da realidade dos factos". Sousa Tavares acusa ainda a "fileira florestal das celuloses" em Portugal e "todos os governantes que pactuaram com ela".

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.