Opinião

Com a entrada de Salgado o caso EDP "passou a ter uma dimensão política"

Com a entrada de Salgado o caso EDP "passou a ter uma dimensão política"

De acordo com o jornal Observador, os investigadores do processo EDP não têm dúvidas de que Ricardo Salgado pagou um milhão de euros a Manuel Pinho, através de transferências mensais, metade das quais quando Pinho era ministro da Economia, alegadamente em troca de decisões políticas favoráveis ao Grupo Espírito Santo e EDP. Ricardo Costa e José Gomes Ferreira estiveram no Jornal da Noite para comentar o processo. Para o diretor de Informação da SIC, a entrada de Ricardo Salgado no processo EDP fez com que a investigação passasse a ter uma dimensão política que não tinha.

  • Manuel Pinho indiciado por corrupção no processo EDP
    1:31

    País

    Manuel Pinho foi constituído arguido no processo EDP em julho do ano passado, está indiciado por crimes de corrupção passiva e participação económica em negócio. Além da compra do apartamento em Nova Iorque, a Polícia Judiciária também desconfia de um curso de energias renováveis dado pelo antigo ministro da Economia, nos Estados Unidos. O curso foi patrocinado pela EDP, que alegadamente Pinho beneficiou enquanto esteve no Governo.

  • Ricardo Salgado vai ser constituído arguido no processo EDP
    2:09

    País

    Ricardo Salgado vai ser constituído arguido no chamado processo EDP. O homem forte do GES é suspeito de pagar um milhão de euros a Manuel Pinho, através de transferências mensais, metade das quais quando Pinho era ministro da Economia. A investigação fala em decisões políticas favoráveis ao GES e à EDP.

  • "A bebedeira passa, o resto não!"
    2:48

    País

    O INEM socorreu mais de mil menores em coma alcoólico, no ano passado. Por isso, os adolescentes são o alvo da campanha lançada esta sexta-feira pelo Governo: "A bebedeira passa, o resto não!"

  • Sabe que pode estar a pagar 100€ a mais na fatura do gás?
    2:29

    Economia

    A maior parte das empresas fornecedoras de gás continua a cobrar aos clientes a taxa de ocupação do subsolo ao clientes, apesar da lei dizer que deve ser paga pelas empresas desde janeiro de 2017. Cada Câmara Municipal cobra o que entende e há autarquias que não cobram nada. Em alguns casos podemos estar a falar de mais de 8 euros por mês, ou seja, mais de 100 euros por ano.

  • As técnicas e o currículo polémico do Dr. Bumbum
    2:10

    Mundo

    Uma mulher morreu após uma operação aos glúteos, feita na casa de um cirurgião plástico conhecido no Brasil por Dr. Bumbum. Depois de quatro dias em fuga, o homem entregou-se às autoridades. O médico operava as mulheres em casa e no currículo tem um curso que não acabou e pós-graduações que não são reconhecidas.

  • Ir ao Douro e à Nazaré
    25:57
  • O convite que causou surpresa até na Casa Branca
    2:33