Opinião

"As pessoas que estavam lado a lado com Sócrates ou com Pinho ou eram totós ou cínicas"

"As pessoas que estavam lado a lado com Sócrates ou com Pinho ou eram totós ou cínicas"

Jorge Coelho afirmou que é inédito e grave o facto de Manuel Pinho ter alegadamente recebido dinheiro do GES enquanto ministro. Esta quinta-feira, no programa Quadratura do Círculo, António Lobo Xavier disse que estas revelações fazem parte de uma cultura de impunidade e de desresponsabilização que correspondia ao Governo da altura. Já José Pacheco Pereira considera que estas práticas são muito mais comuns do que parecem. Jorge Coelho disse ainda esperar que Manuel Pinho venha a público esclarecer se as acusações que lhe são feitas correspondem ou não à verdade.

  • "É absolutamente indiscutível o interesse público que existe na Operação Marquês" 
    6:56

    Operação Marquês

    Para o diretor de Informação da SIC, Ricardo Costa, é indiscutível o interesse público que existe na Operação Marquês uma vez que se trata do processo "mais grave da democracia portuguesa, que envolve a maior falência bancária do pós-25 de Abril e o colapso daquela que era a empresa mais importante da bolsa de Lisboa". Na semana passada a SIC emitiu um conjunto de reportagens sobre a Operação Marquês, em que divulgou algumas imagens de interrogatórios ao antigo primeiro-ministro e acusado José Sócrates. O caso tem despertado um intenso debate público sobre o conflito entre os direitos dos arguidos e o direito à informação.

  • Isto não é não jornalismo. Por Ricardo Costa

    Opinião

    Uma das decisões mais banais e corriqueiras do jornalismo assenta nas escolhas que se fazem no dia a dia. Que temas se abordam, que destaque se dá a este ou aquele assunto, que ângulos de abordagem se usam. São opções condicionadas por uma série de fatores - que vão do interesse e da novidade até questões tão básicas como o haver ou não jornalistas com tempo, meios e conhecimentos para o fazerem -, que estão e estarão na base de qualquer dia de trabalho numa redação.

  • "É inaceitável a forma como Sócrates falou para o procurador"
    1:37

    Operação Marquês

    A Operação Marquês e a investigação da SIC estiveram em análise no programa desta quarta-feira "Negócios da Semana", com Cristina Ferreira, Paulo Ralha e António Ventinhas. A jornalista do jornal Público, Cristina Ferreira, considera inaceitável a forma como o ex-primeiro-ministro, José Sócrates, falou com o procurador que conduzia o inquérito. 

  • José Sócrates: "Fiz isso por vaidade"
    4:13

    José Sócrates: O Confronto

    Uma parcela grande do dinheiro da conta titulada por Carlos Santos Silva foi gasta na compra de livros de José Sócrates. No interrogatório a que foi sujeito, o amigo do antigo primeiro-ministro assumiu ter entregado verbas a muita gente para inflacionar as vendas da obra e ajudar a manter o status do antigo governante.

  • Mais de um milhão saiu da conta 006 da Operação Marquês
    4:11

    José Sócrates: O Confronto

    Os 28 arguidos da Operação Marquês têm até ao dia 3 de setembro para pedirem a abertura da instrução. A SIC revelou na segunda-feira imagens exclusivas dos interrogatórios a José Sócrates, no âmbito do processo. Hoje, no Jornal da Noite, há mais novidades. O dinheiro vivo que Sócrates recebeu das mãos do amigo Carlos Santos Silva é uma das peça basilares na acusação da Operação Marquês. Os montantes, que ascenderam a um milhão de euros, saíram todos da chamada conta 006, uma conta bancária titulada por Santos Silva, mas que o Ministério Público afirma ser na verdade o cofre das luvas que o antigo primeiro-ministro terá recebido por atos de corrupção.

  • Maior avião de passageiros do mundo aterra hoje em Portugal
    1:09
  • Cristas ataca Costa com "logro" da saúde e o "pântano" de Tancos
    1:39

    País

    A líder do CDS diz que o Governo de António Costa está esgotado e que o país está pior agora do que no período da troika. Acusações feitas no encerramento do congresso do partido na Madeira, onde Assunção Cristas afirmou que quer voltar a eleger um deputado pela região autónoma.