sicnot

Perfil

Anselmo Crespo

Mercados. Feios, porcos e maus!

Anselmo Crespo

Anselmo Crespo

Editor de Política SIC

Só por causa deste título os juros da dívida portuguesa já devem ter disparado. São assim os mercados. Uns sensíveis. Têm humores como as pessoas normais. Às vezes acordam mal dispostos. Se alguém os contraria ficam logo instáveis. Precisam de confiança, se não ficam inseguros e nunca se sabe o que podem fazer. Os mercados mandam. Nós obedecemos. É assim. Quem paga manda. Quem pede emprestado amocha.

O mundo tornou-se dependente dos mercados. Os estados habituaram-se a viver do que não cobram e, sobretudo, do que não produzem. Estão lá os mercados que emprestam. Toda a gente sabe que não se ganham eleições sem promessas e que as promessas não se cumprem sem dinheiro. Não há dinheiro? Pede-se aos mercados. Pagamos depois. Temos que pagar agora? Pede-se outra vez emprestado para pagar o que devemos. Quando é que pagamos? Pode ser daqui a 10 anos? Quanto mais tarde melhor. Juros? Pagamos, claro. Como? Pedimos aos mercados. O importante é manter a torneira aberta.

Quando há oito anos o mundo descobriu que a economia estava assente em dívida, que essa dívida era impossível de pagar e que estávamos todos dependentes dos mercados, foi o choque. Depois vieram as críticas e mais tarde as promessas de grandes mudanças. Não aconteceu. A desregulação continua. A dependência mantém-se. A dívida aumentou exponencialmente. Os mercados, esses, voltaram ao "business as usual" mas mudaram algumas coisas. Encontraram novas formas de inventar dinheiro, resguardaram-se mais, encontraram outros caminhos para chegar ao mesmo objetivo. O lucro. As agências de rating, tão importantes para a estratégia vencedora dos mercados, conseguiram passar entre os pingos da chuva. Os mesmos estados que as criticaram continuam a financiá-las porque não encontraram nada melhor entretanto e o dinheiro, lá está, não cai do céu. Cai dos mercados.

Portugal é um dos mais dependentes. Oito anos depois, eis-nos novamente com medo e sem alternativa aos mercados. Eis-nos novamente a pedir e a prometer pagar mais tarde. Eis-nos sem um plano de produção de riqueza. Como podia ser de outra forma se o nosso objetivo foi, desde o início, regressar aos mercados?

O mundo não aprendeu nada com a crise dos últimos oito anos e esse é, provavelmente, o maior atestado de estupidez que se pode passar aos líderes mundiais. Talvez não seja estupidez, talvez estejam só a fazer-nos passar por estúpidos. Quanto à dívida, está cada vez maior e cada vez mais impagável. A nossa e a dos outros. Eu sei, eu sei, os mercados ficam nervosos quando se fala nisso. Tomem um xanax que isso passa.

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.