sicnot

Perfil

António José Teixeira

E depois do debate

O naufrágio da humanidade espelhado naquele corpo de criança que deu à costa, como se fosse um detrito, arrepia. Mas não suficientemente. Um polícia recolheu-a nos braços como se a fosse embalar. Curvado, aquela criança pesou decerto na sua e em muitas consciências. Mas não suficientemente. Aquela criança fugia com outras crianças da Síria, passara pela Turquia rumo à Grécia. Corriam do inferno sírio, da barbárie à solta e da fome. Ninguém as viu e ouviu. Ninguém quis saber. Ninguém se importou. É duro olhar para aqueles corpos estendidos, inertes. Mas não suficientemente.

No final, bastou olhar para os fácies dos contendores para se perceber quem se tinha saído melhor. Estando no poder, Passos Coelho tem feito campanha em ambiente protegido. Expõe-se pouco, poucas entrevistas, poucos debates, muito defensivo. Na oposição, António Costa precisa conquistar terreno, aparecer, debater. A campanha não tem ajudado, as sondagens também não. Recaiam sobre ele as maiores responsabilidades no debate televisivo, oportunidade única de chegar a mais de três milhões de espetadores de uma só vez. Passos precisaria de não perder. O adversário sairia enfraquecido e a vantagem teria espaço de crescimento. Ainda assim não se diga que o primeiro-ministro se limitou a defender. Levou uma farpa que tem sido agitada com mais ou menos vigor. Sócrates, o fantasma aprisionado, não é apenas o suspeito de corrupção, é também o governante que chamou a troika. Colar Costa a Sócrates tem sido uma tentação. Tanta, que Passos Coelho não resistiu a lembrar o fantasma a propósito e a despropósito. O exagero tem sempre um problema: vira-se contra o exagerado. O líder do PSD não levava apenas essa farpa, levou o Syriza, tal como Paulo Portas já o tinha feito no debate com Catarina Martins. Mas apenas a insinuou. Pensava que a pesada herança de Sócrates conjugada com a melhoria de alguns indicadores económicos seria mais do que suficiente. Uma combinação de defesa do legado com contra-ataque cirúrgico foi a fórmula. Com o que não contava era com o ataque permanente de António Costa, gráficos de Gaspar e casos cirúrgicos pouco simpáticos. Do ponto de vista do combate, da convicção, o líder do PS ganhou aos pontos. Quanto ao esclarecimento e à substância, de um e de outro lado, muito pouco. Dir-se-á – e é verdade – que estes duelos dificilmente deixam grande clareza. Mostram capacidade política, habilidade argumentativa, eficácia comunicativa, empatia. A vantagem de Costa esteve aqui.

Pedro Passos Coelho tinha uma dificuldade que parecia inultrapassável há um ano: a austeridade. E uma vantagem: a melhoria do ambiente económico. A dificuldade atribuída a Sócrates e ao alegado herdeiro Costa. Narrativa simples. António Costa tinha uma vantagem promissora: a austeridade além troika e resultados devastadores. Dificuldade: alguns números e a confiança na economia têm vindo a melhorar. Daí a sensação de empate que a generalidade das sondagens tem revelado.

O debate televisivo não terá alterado significativamente a relação de forças, mas deixou um novo alento aos socialistas. Apenas isso. Até porque falta o fundamental. Nem PS nem a coligação esclareceram ainda o seu programa para os próximos quatro anos. Muito passado sem futuro, quando precisamos todos de saber com o que podemos contar, já a partir de 4 de Outubro. O debate está feito. Vamos agora esclarecer o que nos espera no próximo futuro.

  • Trump convida Putin a visitar EUA

    Mundo

    O Presidente dos EUA, Donald Trump convidou o homólogo russo a visitar a Casa Branca e Vladimir Putin ter-se-á mostrado disponível a visitar o país em breve, segundo a agência de notícia russa RIA Novosti que cita o chefe da diplomacia de Moscovo.

  • Fim de semana com chuva e descida da temperatura

    País

    A chuva regressa hoje a Portugal continental e permanece pelo menos até ao início da semana, prevendo-se ainda uma descida da temperatura máxima entre 04 a 06 graus Celsius, disse à Lusa a meteorologista Cristina Simões.

  • Hoje é notícia 

    País

    O PSD leva a debate parlamentar a reprogramação do atual quadro comunitário, desafiando os partidos a pronunciarem-se sobre a proposta inicial do Governo, que considera "não servir o país". Os parceiros sociais e o Governo reúnem-se na Concertação Social para discutirem o Programa Nacional de Reformas. O Sporting de Braga procura alcançar o Sporting no 3º lugar da I Liga, ao defrontar o Marítimo na abertura da 31.ª jornada.

  • 45 anos de Partido Socialista
    3:31

    País

    O PS completou 45 anos esta quinta-feira. Acaso ou não, a festa aconteceu um dia depois de terem ficado concluídos dois acordos com o PSD que fazem renascer o debate sobre o posicionamento ideológico do partido socialista.

  • Senado aprova à tangente novo diretor da NASA

    Mundo

    O Senado norte-americano aprovou na quinta-feira, à tangente, a nomeação do novo diretor da agência espacial norte-americana, com 50 votos favoráveis contra 49, colocando à frente da NASA um cético das alterações climáticas, adiantou a Efe.

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
    Mudar de Vida

    Mudar de Vida

    5ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    No "Mudar de Vida" desta quinta-feira damos a conhecer mais um caso de quem teve coragem de arriscar e procurar um novo futuro. Susana Moraes é uma economista que decidiu seguir a paixão pela dança. 

  • Mágico comove audiência do Britain's Got Talent com a história de cancro da mulher e da filha
    5:16
  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC