sicnot

Perfil

Bernardo Ferrão

Vaca aterra(dora)

Com uma vaca voadora – qual geringonça! - António Costa quis e quer convencer-nos a todos que não há impossíveis. Mais: quando se assinalam 6 meses de Governo, acrescentou que o seu executivo tem cumprido o compromisso.

Vamos por partes. Qual compromisso? O de fazer crescer o país não é certamente. O PIB só cresceu 0,1 por cento no primeiro trimestre, isto é, estagnou. Também os dados da execução orçamental mostram que não vamos no bom caminho. Até já o "amigo" Marcelo veio sugerir a revisão das previsões otimistas. É verdade que o projeto de Costa foi desvirtuado também por culpa de Bruxelas que, com a sua visão única, obrigou a medidas que claramente descafeinaram o modelo assente no poder de compra e "consequente" crescimento da economia. Mas realidade é o que é, e de facto a evolução do PIB desilude e a execução do Orçamento entra na zona de risco. Pergunto-me se não era mais sensato repensar agora as contas antes que as coisas se agudizem - os mercados continuam de olho em nós.

Mais do que os impossíveis, prefiro concentrar-me nos possíveis. Sim, foi possível devolver rendimentos – com a subida de vários impostos - e carregar nas chamadas reversões, algumas com sérios de custos para a confiança. Mas o que tem mais para oferecer este executivo?

Quando um governo é eleito espera-se que traga alguma coisa. Que construa, que acrescente e que não se limite a desfazer o que foi feito. Há muito para reformar neste país, desde logo no Estado e na sua despesa (nos anos da troika a exigência de fazer o ajustamento 2/3 pelo lado da despesa e 1/3 pelo lado da receita não foi cumprida), na segurança social, nas empresas públicas, cuja restruturação só foi feita parcialmente.

Mas nada disto será feito por um governo que não encontrará consensos com a oposição e que se mostra de mãos atadas, refém dos equilíbrios externos e internos - e com os sindicatos vigilantes e dispostos a combater qualquer medida que comprometa a sua sobrevivência.

Costa pode orgulhar-se: já passaram 6 meses. Já? Vários obstáculos foram ultrapassados, mas os sinais não são os mais positivos. Pode melhorar? Esperemos que sim. O desemprego continua alto, as taxas de juro já estiveram mais confiantes, o PIB não descola, as exportações caem, o investimento estrangeiro segue o mesmo caminho.

Tenho sérias dúvidas que a tempestade chegue da frente externa – a Europa está confrontada com problemas bem mais graves do que Portugal -, acredito sim que a fenda pode abrir-se na frente interna. Sem crescimento e emprego tudo fica em causa. E tudo passa a ter de ser equacionado.

No passado ouvimos falar de vacas que riam. Agora de vacas voadoras. Espero que o futuro não nos traga vacas aterra...doras.

  • "Se Portugal não confia no sistema judicial de Angola não deve fazer negócios com o país"
    18:27

    País

    O julgamento do caso Fizz arrancou esta segunda-feira. Victor Silva, diretor do Jornal de Angola, esteve na Edição da Noite para analisar como estão as relações entre Portugal e Angola, numa altura em que Manuel Vicente viu recusada a transferência do processo para o país angolano. Victor Silva afirmou que a decisão de "separar os processos vai de encontro aos interesses dos dois estados" e vai mais longe ao dizer que se Portugal "não confia no sistema judicial de Angola então não pode fazer negócios com o país".

  • Obras no Estádio do Estoril já começaram

    Desporto

    A Câmara de Cascais emitiu esta segunda-feira um comunicado a informar que já começaram os trabalhos no Estádio do Estoril e que, segundo a autarquia, seguem as recomendações do Laboratório Nacional de Engenharia Civil.

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • O jogador de futebol que se tornou Presidente de um país

    Mundo

    George Weah tomou posse esta segunda-feira como Presidente da Libéria. Foi a segunda vez que o antigo futebolista concorreu ao cargo, depois de em 2005 ser derrotado pela candidata Ellen Johnson-Sirleaf. Foi o primeiro e único futebolista africano a receber uma Bola de Ouro. A história de George Weah também passou por Portugal, onde ficou conhecido pela agressão ao ex-jogador do FC Porto, Jorge Costa, em 1996.

    Ana Rute Carvalho

  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC