sicnot

Perfil

Luís Marques Mendes

"Há um risco sério de desintegração do Reino Unido"

"Há um risco sério de desintegração do Reino Unido"

Luís Marques Mendes comenta a atualidade nacional. O comentador diz que David Cameron tem responsabilidades na forma como o referendo que ditou a saída do Reino Unido da União Europeia foi convocado. Para Luís Marques Mendes há um risco de paralisia política e económica do Reino Unido o que poderá provocar um risco sério de desintegração. Sobre a venda do Novo Banco, Marques Mendes diz que se corre o risco de não surgir nenhuma proposta vantajosa e o Governo terá então de avançar para o processo de nacionalização do banco. O comentador falou ainda sobre a investigação à Caixa Geral de Depósitos. Na sua opinião o Banco de Portugal já devia ter mandado fazer uma auditoria forense como fez no caso do BES.

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.