sicnot

Perfil

Pedro Cruz

Lula, o lava tudo

Retirado para um triplex «da família», em S. Paulo, Lula regressa agora a Brasília. Para ser presidente? Não, para ser ministro da 'presidenta'.

E assim, Lula, o amigo dos pobres, o sindicalista, o lutador, o Presidente, volta ao poder.

E que poder. É o novo Ministro da Casa Civil da amiga e correligionária Dilma.

Se houvesse, no Brasil, um Primeiro Ministro, era ele.

Até aqui, ainda que parecendo estranho, seria, pelo menos, aceitável. Ou compreensível.

O capital político, a popularidade e o engenho do ex-presidente estaria, de novo, ao serviço do país.

(Outros, noutras latitudes, fizeram o mesmo.

Na democrática Russia de Putin, ele já foi presidente, primeiro ministro, e outra vez presidente.

Andou na dança de cadeiras com Medvedev. Uns brincalhões.

Na democracia embrionária de Timor-Leste, Xanana foi presidente. Depois, primeiro-ministro.)

Mas, no caso de Lula, por mais que diga, por mais que ponha condições para 'aceitar' o cargo, por mais que nos atire com palavras, intenções, competências, negociações ou revoluções que vai fazer a partir do quarto andar do Palácio do Planalto, por mais que tudo... Lula só é Ministro para não ser preso. Para ganhar imunidade. Para não ter de enfrentar a justiça. Para não ter de se justificar.

Lula é ministro para fugir.

Lá terá danos colaterais, para ele e para a amiga Dilma, esta decisão.

Isso é lá com eles.

Connosco, é só a desilusão que fica depois da imagem que tínhamos.

Lula, o homem que conseguiu dar tres refeições por dia a milhões de compatroitas que as não tinham, que trouxe mais saúde e bem estar ao seu povo, o herói da resistência contra os poderes instalados no Planalto, o líder da revolta dos descamisados, que os representa e que os Governou, esse mesmo, o que se tornou símbolo de um país que rompeu com o 'establishment' e deu uma lição a outros povos... esse ídolo que viajou mundo inteiro a levar a mensagem...

.. esse mesmo, o destemido, o corajoso, vai agora fugir para um palácio.

E isto não é só um problema da justiça.

Ou da falta dela.

Ou de uma imoral legalidade.

Nem sequer é isso.

É uma decepção. Uma desilusão. Um frustração.

Já não lava só jato.

Lava tudo.

Mas quanto mais lava, 'mais sujeira deixa', como diriam os brasilieiros.

Pedro Cruz

subdiretor informação SIC

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02