Ultima Edição

1
0:05

Última Edição

2
1:34

Portugal consegue 750 milhões a uma taxa de juro de 3,59%

3
2:50

"Não devemos esfolar um coelho antes de o caçar"

4
2:24

Troika reuniu-se com parceiros sociais e ouviu críticas à intenção de cortar mais nos salários

5
1:04

Sorteio aumenta em 40% número de empresas que emitem fatura

6
1:56

Governo pondera fixar valor de referência do gás de botija

7
1:25

Duplo homicida procurado por cerca de cem elementos da GNR e PJ

8
1:09

Mulher suspeita da morte de três filhos no Reino Unido

9
1:31

Obama na Ásia para promover EUA como parceiro estratégico

10
2:16

Austrália garante que não vai desistir das buscas ao voo 370

11
1:26

Gaitán já treinou sem limitações, Fejsa continua condicionado

20:57 25.05.2011

Passos Coelho canta música das "Doce" (Veja o Vídeo)

 O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, andou  hoje em campanha na região da Serra da Estrela, de Seia à Guarda, ao som  da "Desfolhada" e do êxito das Doce "Amanhã de manhã". 

Antes do almoço, num hotel da Guarda, Passos Coelho mostrou-se contente  com a banda sonora, contando aos jornalistas que a "Desfolhada" é a primeira  música que tem memória de ouvir, na infância, cantada por Simone de Oliveira.

"E agora era uma música das Doce, que a minha primeira mulher (Fátima  Padinha, uma das vocalistas deste grupo) também cantava. Portanto, boas  surpresas, hoje", considerou.

Passos canta as Doce

O presidente do PSD ouviu a "Desfolhada" cantada por uma tuna académica,  em Seia, na Avenida 1. de Maio, que desceu em 40 minutos, cumprimentando  toda a gente e parando, pelo menos, dez vezes para conversar com quem o  abordava. 

Numa destas conversas, sobre temas como as licenças para conduzir tratores,  as nomeações para os centros de saúde, o recenseamento eleitoral dos emigrantes  e a atualização das pensões, fizeram-lhe um pedido para pôr juízo "àquele  aldrabão que deitou abaixo".  Passos Coelho respondeu que "disso os eleitores é que tratam".   A mulher com quem falava insistiu que "cada palavra que ele diz é uma  mentira" e o presidente do PSD afastou-se dizendo: "Pois é, pois é". 

Em Seia, Passos Coelho pediu "um voto muito forte" na mudança, recebeu  palavras de apoio, mas também se cruzou com um homem "zangado com todos",  a quem o presidente do PSD disse que não pode responder pelos outros, mas  que os políticos não são "todos iguais".  O homem não se convenceu: "Se para lá for faz o mesmo. O que querem  é poleiro". 

O presidente do PSD saiu de Seia já atrasado e justificou-se assim por  não ficar mais tempo: "Senão estes jornalistas chegam ao fim do dia e põem-me  a descer em todo o lado e dizem: esta gente não cumpre um horário". 

A caravana do PSD, que hoje incluiu o cabeça de lista no círculo da  Guarda, Manuel Meirinho, seguiu para Gouveia, para uma visita a uma fábrica  de metalomecânica e a uma instituição de solidariedade social, e depois  para um almoço na Guarda. 

Na Guarda, uma nova tuna académica, exclusivamente feminina, tocou para  o presidente do PSD, num mini-concerto que terminou com a canção "Amanhã  de manhã". 

Rodeado de repórteres de imagem, Passos Coelho ouviu a canção de braços  cruzados e sorriso contido, acabando a cantar baixinho o refrão: "Eu vou-te  abraçar e prender-te então / no corpo que é teu, na cama, no chão / Os nossos  lençóis e a colcha de lã / eu vou-te abraçar amanhã de manhã". 

Lusa

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

País

Publicidade

Agora

Facebook

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .