sicnot

Perfil

País

Mais de 300 agressores com vigilância eletrónica devido a violência doméstica

Mais de 300 agressores usam hoje a pulseira eletrónica devido a casos de violência doméstica, indicam os dados provisórios da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

O arguido foi presente ao tribunal do Marco de Canaveses, que determinou, como medida de coação, o uso de pulseira eletrónica e a proibição de contactar ou aproximar da ofendida. (Arquivo)

O arguido foi presente ao tribunal do Marco de Canaveses, que determinou, como medida de coação, o uso de pulseira eletrónica e a proibição de contactar ou aproximar da ofendida. (Arquivo)

Neste dia em que se completam quatro anos de recurso à pulseira no âmbito da violência doméstica, 319 arguidos encontram-se em vigilância eletrónica, mais 23 do que os registados em 31 de dezembro do ano passado. 


Em 2014, a pena ou medida de vigilância eletrónica foi aplicada a 313 agressores, dos quais 235 foram considerados finalizados durante esse período. 


No ano anterior, 229 agressores utilizaram a pulseira eletrónica, com 141 casos a serem declarados findos nesse período. 


A DGRSP assinalou que, de 2009 a 2014, a taxa de sucesso da aplicação da vigilância eletrónica, para impedir o contacto com a vítima de violência doméstica, é de 96,64 por cento, registo que inclui todos os casos não revogados por incumprimento.


Desde 2011 até janeiro deste ano, a aplicação desta medida para impedir contacto dos agressores com as vítimas apresenta valores superiores entre 91,43%, em 2011, e 99,29%, em 2013.


Segundo elementos da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), 30 mulheres e 10 homens morreram em quadro de violência doméstica.


As "Estatísticas APAV Crimes sexuais 2000-2012" referem que, neste período, foram totalizados 5.710 casos de violência doméstica, correspondendo este número aos crimes de "violência doméstica -- violação e abuso sexual de crianças", com 3.473 casos (53,7%).


As mulheres são as principais vítimas, atingindo o valor máximo em 2003, com 548 vítimas. Em 17% dos casos, a vítima tinha entre os 26 e 35 anos, e em 14,7% das situações, entre 18 e 25 anos.


Lusa
  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.