sicnot

Perfil

País

Hora do Planeta "apaga" luz de monumentos a 28 de março em várias vilas e cidades

Vários monumentos de vilas e cidades portuguesas voltam a estar, este ano, às escuras, na Hora do Planeta, uma iniciativa mundial que se realiza a 28 de março, anunciou hoje a organização ambientalista WWF, que promove o evento.

© Ho New / Reuters

Durante uma hora, entre as 20:30 e as 21:30 (hora de Lisboa), monumentos como o Palácio Nacional da Pena, em Sintra, o castelo de Abrantes, o Mosteiro de Landim, a Ponte de São Roque, em Chaves, a Igreja Matriz de Alvito, o Palácio dos Távoras, em Mirandela, ou o Museu da Eletricidade, em Lisboa, vão estar com a iluminação exterior apagada.

Ao todo, em Portugal, já aderiram à nona edição da Hora do Planeta, 30 municípios, indica um comunicado da WWF.

Este ano, a iniciativa, que decorre em simultâneo em seis continentes, em fusos horários diferentes, tem como lema "Usa o teu poder contra as alterações climáticas". O surfista Garret McNamara é um dos embaixadores da Hora do Planeta 2015 em Portugal.

Em Lisboa, para assinalar a iniciativa, vai ser recriada na Praça Martim Moniz uma povoação eco-colorida sustentável, a "Glow Village", iluminada pelo reflexo de tintas "Glow" (fluorescentes).

Aulas de zumba à luz de velas, corridas noturnas, aulas de ioga e jantares às escuras são alguns dos outros eventos organizados pelos municípios aderentes.


Lusa
  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • Várias povoações evacuadas no concelho de Nisa

    País

    Várias povoações do concelho de Nisa, no distrito de Portalegre, foram esta quarta-feira à noite evacuadas, devido à ameaça do incêndio que lavra no concelho, disse à agência Lusa a presidente do município, Idalina Trindade.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14