sicnot

Perfil

País

Suplementos dos militares vão ser reestruturados, esclarece Aguiar-Branco

O ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, esclareceu hoje que os suplementos remuneratórios dos militares vão ser reestruturados, indo ao encontro do que já foi aprovado em Conselho de Ministros.

José Sena Goulão / LUSA

Questionado, em Viseu, sobre a notícia do Correio da Manhã de que o Ministério da Defesa se prepara para criar um suplemento de serviço especial nas Forças Armadas, Aguiar-Branco explicou que o que está em causa é "a reavaliação dos suplementos que existem de modo a agregá-los de uma forma mais una". 

"Não é estar a criar novos suplementos, é reestruturá-los, indo ao encontro dos objetivos que o Governo fixou. E, na lógica orçamental, ir ao encontro do que foram as afirmações de princípio, ou seja, não haver diminuição das remunerações e também no respeito orçamental que está definido para 2015", referiu aos jornalistas. 

Também o Chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas já tinha dito hoje, no Funchal, que os responsáveis militares não propuseram ao Governo um novo suplemento remuneratório, mas apenas agregaram os existentes, tendo por base as especificidades das diversas especialidades.

"Não é um novo suplemento. De acordo com as orientações políticas, há uma redução do número dos suplementos que existiam", disse o general Artur Pina Monteiro.

Segundo Aguiar-Branco, o regime dos suplementos será aprovado ao mesmo tempo do que o Estatuto dos Militares das Forças Armadas.

O ministro comentou também as afirmações feitas no sábado pelo ex-presidente da Associação Nacional de Sargentos, Lima Coelho, que o acusou de ser "habilidoso, mentiroso e cobarde" a propósito das conversações para a revisão do Estatuto dos Militares.

"Relativamente ao processo para a revisão do Estatuto dos Militares das Forças Armadas e para tudo o que foi feito na Reforma 2020, contribuiu quem quis contribuir", afirmou Aguiar-Branco.

O governante acrescentou que "quem não quis contribuir, quem quis fazer política aproveitando as funções que exerce para outros objetivos que não os objetivos específicos que estão em causa, fê-lo".

"Eu só posso desejar ao senhor sargento Lima Coelho, agora que deixou as suas funções, que tenha um futuro muito feliz", acrescentou.



Lusa
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41