sicnot

Perfil

País

Fábrica do Carregado com dois incêndios em seis meses

A fábrica de montagem de componentes de automóveis do Carregado da Dura Automotive Portugal, onde deflagrou hoje um incêndio, foi atingida duas vezes pelo fogo em apenas seis meses.

Lusa

Em setembro de 2014, a unidade, localizada no concelho de Alenquer, foi atingida por um fogo que começou com uma explosão num quadro elétrico. Além dos estragos, fez dois feridos, um deles em estado grave.

Passados seis meses, a fábrica do fornecedor mundial de componentes de automóveis volta a ser hoje consumida pelas chamas.

No local, estão 112 bombeiros e 39 veículos de diversas corporações de bombeiros do distrito de Lisboa, informou fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa, num balanço à agência Lusa às 21:36.

A mesma fonte disse que o incêndio "não está dominado", ainda que esteja confinado à secção de pintura da fábrica. 

Cinco pessoas tiveram de ser assistidas no local devido à inalação de fumo.

O incêndio começou às 19:20, quando havia ainda trabalhadores na fábrica, localizada junto à empresa Salvador Caetano, também de montagem de componentes para automóveis.











Lusa
  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • "Toda a gente merece direitos iguais"
    0:14

    Mundo

    A polícia de Istambul montou cordões de segurança para dispersar a multidão que se juntou para a Marcha do Orgulho Gay, este domingo. O Governo proibiu a marcha por considerar que representa um risco para a segurança pública. Uma das ativistas fala numa decisão sem sentido, e diz que todas as pessoas merecem direitos iguais.

  • "Ela veio lá de fora e começou a atropelar as pessoas"
    0:43

    Mundo

    O atropelamento deste sábado em Newcastle, no Reino Unido, provocou pelo menos seis feridos. No local, as pessoas relatam momentos de pânico. Uma testemunha afirma que a condutora nunca perdeu o controlo do carro e que dirigiu intencionalmente contra a multidão.