sicnot

Perfil

País

Falta de anestesiologistas pode pôr em causa aumento das cirurgias em Portugal

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, admitiu hoje que a falta de anestesiologistas pode pôr em causa o crescimento do número de cirurgias realizado em Portugal.

lusa

Paulo Macedo falava na abertura da 4ª Conferência TSF/Abbvie, este ano dedicado ao tema "sustentabilidade na saúde", que decorre em Lisboa. 

A propósito dos indicadores do Serviço Nacional de Saúde (SNS), o ministro alertou para o risco das cirurgias realizadas em Portugal não poderem continuar a aumentar, tal como tem acontecido nos últimos tempos, devido à falta de anestesiologistas.

"Temos de perceber como chegámos a esta situação de pôr em causa as cirurgias por não haver anestesiologistas em número suficiente e como vamos resolvê-la", afirmou, lembrando que "o Ministério da Saúde recruta todos os médicos disponíveis".

A intervenção de Paulo Macedo centrou-se na questão da sustentabilidade do SNS, tendo desfiado as medidas do Executivo nesta área e enaltecendo os resultados que considera positivos, apesar da "crise" que tem afetado o país.

Nesta conferência serão ainda apresentados os resultados de 2015 do projeto Saúde Sustentável, desenvolvido pela Nova Information Management School (Nova IMS), que avalia as perceções dos utilizadores do Serviço Nacional de Saúde (SNS) face à qualidade, preço e eficácia do mesmo.

O inquérito, feito com uma amostra da população portuguesa composta por 552 indivíduos com mais de 18 anos e residentes em Portugal, revelou que "a eficácia do SNS (74,7 por cento) e a qualidade dos serviços de saúde (67,4 por cento) não estão de acordo com o preço (47,5 por cento) ao nível das taxas moderadoras e da comparticipação de medicamentos pelo Estado".

De acordo com o estudo, 43,2 por cento dos inquiridos afirmou que as taxas moderadoras praticadas pelo SNS não são adequadas e 26,3 por cento discorda da comparticipação do Estado para a medicação prescrita a 12 meses.

Uma outra conclusão do estudo é a de que embora as pessoas não deixem de recorrer aos serviços de saúde quando necessário, 15,7 pc dos inquiridos revela ter deixado de comprar um medicamento prescrito devido ao custo
  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes. Os passageiros desembarcaram, como registou no Twitter um jornalista da Al-Jazzera que seguia a bordo. Segundo este depoimento, uma pessoa foi levada para o hospital com problemas cardíacos.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.