sicnot

Perfil

País

Julgamento do caso das Secretas adiado para 16 de Abril

O julgamento do "caso das Secretas", que tem o antigo director do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED) Jorge Silva Carvalho como um dos arguidos, foi adiado de 09 para 16 de abril, disse hoje fonte ligada ao processo.

O julgamento tem como principal arguido o ex-espião Jorge Silva Carvalho

O julgamento tem como principal arguido o ex-espião Jorge Silva Carvalho

LUSA/ ARQUIVO

egundo a mesma fonte, o julgamento foi adiado devido à distribuição ao mesmo coletivo de juízes de um outro processo considerado urgente, por ter arguido preso.

O caso das Secretas teve origem em suspeitas de acesso ilegal à facturação detalhada do telefone do jornalista Nuno Simas (à data dos factos pertencia aos quadros do jornal Público).

Além de Jorge Silva Carvalho, o Ministério Público (MP) acusou o presidente da Ongoing, Nuno Vasconcellos, e um funcionário do SIED, João Luís, por violação do segredo de Estado, corrupção e abuso de poder.

Após pronunciar (levar a julgamento) estes três arguidos pelos crimes de que vinham acusados, a juíza de instrução criminal decidiu também levar a julgamento um agente do Serviço de Informações de Segurança (SIS), Nuno Dias, e a sua companheira (ex-funcionária da Optimus) por acesso ilegal de dados, acesso ilegal agravado e violação do segredo profissional.

No processo, o MP sustenta que Nuno Vasconcellos decidiu contratar Jorge Silva Carvalho para os quadros da Ongoing, para que este último obtivesse informação relevante para o grupo através das secretas.

Lusa

  • Militares da revolução denunciam corrupção nos órgãos de poder
    3:22

    País

    O presidente da Associação 25 de Abril acusa a classe política de não ter interesse em travar a corrupção em Portugal. Vasco Lourenço e Otelo Saraiva de Carvalho, dois dos militares da revolução, consideram que a corrupção está entranhada nos órgãos de poder e deve ser denunciada.

  • "Está prevista mais uma melhoria do rating para breve"
    2:46
  • Fábrica na Covilhã vai produzir para marcas de luxo
    1:47

    Economia

    A Covilhã foi a cidade portuguesa escolhida para a instalação de uma nova fábrica de produção de peças para marcas de luxo. O Grupo FM Industries Sycrilor vai reforçar o investimento na cidade e será responsável pelo polimento de metais para as marcas Louis Vuitton e Cartier.