sicnot

Perfil

País

Portugal recebe pela primeira vez encontro de e para mulheres empresárias

Portugal vai receber, pela primeira vez, uma reunião internacional de e para mulheres com empresas online que queiram trocar experiências e aprender a rentabilizar ao máximo as potencialidades do trabalho em rede para fazer crescer o seu negócio.

Portugal vai receber, a partir de quarta-feira e pela primeira vez, um encontro de e para mulheres empresárias, no Hotel Cascais Miragem. A ideia é de Linda Pereira, representante da "Women Ecommerce Association International" em Portugal. (Reuters)

Portugal vai receber, a partir de quarta-feira e pela primeira vez, um encontro de e para mulheres empresárias, no Hotel Cascais Miragem. A ideia é de Linda Pereira, representante da "Women Ecommerce Association International" em Portugal. (Reuters)

© Andrea Comas / Reuters

O encontro destas mulheres empresárias arranca quarta-feira e prolonga-se até domingo e decorre no Hotel Cascais Miragem, fruto da ideia e da vontade de Linda Pereira, a representante em Portugal da 'Women Ecommerce Association International', que organiza o encontro.

À agência Lusa, Linda Pereira explicou que este encontro, que dá pelo nome de "The WOW Conference", será "ideal" para as mulheres empresárias na casa dos 30 anos, que estão em empresas unipessoais e querem fazer crescer o seu negócio ou que estão em cargos de chefia intermédia e ambicionam atingir o topo.

Segundo a empresária, as previsões apontam para que só em 2035 é que as mulheres consigam ocupar 72% dos lugares dos cargos intermédios nas empresas e só em 2095 é que será alcançada a paridade, factos que a levaram a criar uma conferência para debater a liderança no feminino.

Apontou também que as mulheres não têm sabido explorar as potencialidades do trabalho em rede, uma realidade ainda mais preocupante em Portugal.

"Em Portugal é absolutamente péssimo, as mulheres não criam redes, [quando] toda a gente sabe que hoje em dia as redes nos negócios são um apoio imprescindível para subir na carreira, para termos informação, para trocarmos experiências, para alargarmos os nossos conhecimentos", apontou Linda Pereira.

No entanto, as mulheres portuguesas continuam "a estar muito limitadas pelo seu tipo de vida", já que a "sociedade continua a achar natural que elas assumam a família, os pais idosos, os problemas todos e a carreira também".

"É muito difícil elas depois terem tempo para 'networking', para socializar no âmbito dos negócios, participar em conferências, estar disponíveis, uma coisa que é tradicionalmente considerada normal no ambiente de negócios dos homens", sublinhou. 

Apontou, por outro lado, que o machismo que existe em Portugal é "soft", "simpático", "paternalista", o que faz com que seja mais difícil de lidar com ele.

Segundo Linda Pereira, "há uma nova tendência a varrer o mundo", um novo feminismo, em que as mulheres ajudam outras mulheres e deu como exemplo o seu próprio caso, em que se socorre de uma rede com "mais de 36 mil mulheres" sempre que tem um problema e precisa de ajuda: "Numa hora tenho milhares de sugestões".

"Isto é muito importante porque a ideia é ajudarmo-nos umas às outras a aceder a novas capacidades e poder multiplicá-las pelo apoio que temos fora do nosso ambiente restrito", defendeu.

Razão pela qual, frisou a empresária, é objetivo deste encontro criar um sistema de mentoras, onde estas mulheres tenham disponibilidade para se ajudarem mutuamente, seja por telefone ou online, por exemplo.

A empresária sublinhou que o comércio eletrónico "tem sido uma grande arma para as mulheres em todos os mercados" porque as tem ajudado a ultrapassar as normais barreiras dos mercados tradicionais, revelando que, atualmente, "cerca de 34% de todas as empresas de 'ecommerce' são detidas por mulheres".

Linda Pereira disse ainda que a "The WOW Conference" vai passar a ser anual, alternando entre o continente americano e a Europa.


Lusa
  • 60 milhões de crianças com menos de 5 anos vão morrer entre 2017 e 2030

    Mundo

    Cerca de 15 mil crianças com menos de cinco anos morreram em 2016 em todo o mundo, e 46% destas morreram nos primeiros 28 dias de vida, segundo um relatório divulgado na quarta-feira pela Unicef. Apesar de se ter registado uma descida da mortalidade nos primeiros cinco anos de vida, de 9,9 milhões de mortes em 2000 para 5,6 milhões em 2016, a proporção de recém-nascidos entre os falecidos aumentou de 41% para 46% neste período.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15

    Opinião

    José Gomes Ferreira diz que as pessoas que ateiam fogo nas florestas sabem "estudar os dias e o vento para arder o máximo possível". Em entrevista no Jornal da Noite, o diretor-adjunto de Informação da SIC, fala na importância de haver uma auditoria para tentar perceber o porquê de haver tantas ignições e saber se há alguém que ganhe com esta vaga de incêndios. 

    José Gomes Ferreira

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.