sicnot

Perfil

País

Base das Lajes regressa ao Parlamento no dia 26 de março

O Parlamento discute no dia 26 de março um projeto de resolução do PSD e CDS-PP pedindo ao Governo "firmeza na salvaguarda das devidas compensações" pela redução da presença militar norte-americana na base das Lajes, nos Açores.

O projeto de resolução foi hoje agendado em conferência de líderes parlamentares, tendo o Bloco de Esquerda anunciado que também agendará uma iniciativa sobre o mesmo tema.

A conferência de líderes marcou igualmente um debate de urgência, pedido pelo PS, sobre "políticas públicas de educação e formação", para o dia 19 de março, o mesmo dia em que o BE agendou um projeto de lei para limitar a cobrança de comissões bancárias.

O projeto de resolução da maioria PSD/CDS-PP sobre a base das Lajes recomenda ao Governo "que mantenha uma posição de firmeza na salvaguarda das devidas compensações ao impacto económico, social e ambiental da redução da presença norte-americana da base das Lajes" e que "concretize uma proposta concertada com o Governo Regional e as autarquias envolvidas".

A maioria recomenda ainda que o executivo "conjugue esforços com o parlamento, junto das autoridades norte-americanas eleitas, com ligação à comunidade portuguesa, em ações que possam ajudar ao sucesso das negociações em curso".

Devido à viagem oficial do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, ao Japão, na última semana de março, foi marcado um debate quinzenal com o chefe de Governo para o dia 1 de abril, informou o secretário da mesa da Assembleia aos jornalistas.



Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".