sicnot

Perfil

País

Empresa Caetano Coatings abre inquérito para apurar causas do incêndio no Carregado

A empresa Caetano Coatings, detentora de uma das duas fábricas de componentes de automóveis do Carregado parcialmente destruídas por um incêndio na terça-feira, informou esta quarta-feira que mandou abrir um inquérito para apurar as causas da ocorrência.

Num comunicado, a administração da empresa refere que mandou "instaurar um inquérito para apurar exaustivamente todos os factos relacionados com o sinistro".

Num comunicado, a administração da empresa refere que mandou "instaurar um inquérito para apurar exaustivamente todos os factos relacionados com o sinistro".

MIGUEL A. LOPES / Lusa

Num comunicado, a administração da empresa refere que mandou "instaurar um inquérito para apurar exaustivamente todos os factos relacionados com o sinistro".

Na mesma nota, a empresa adianta que, apesar de o incêndio ter destruído por completo uma das sete linhas e produção, "não está afetada a estabilidade económica e financeira da empresa".

Por esse motivo, vai dar todos os passos necessários para "utilizar a capacidade das restantes linhas de produção do polo do Carregado e reunir meios adicionais para apresentar alternativas aos clientes", garantindo a produção.

À saída de uma reunião com a administração da empresa, o presidente da câmara, Pedro Folgado, disse à agência Lusa que a Caetano Coatings "está a fazer todos os esforços para integrar as pessoas que tinham" nessas secções.

"Com menos uma linha, há uma série de pessoas que trabalhavam nessa linha e, neste momento, a empresa está a equacionar como vai fazer em relação a esses trabalhadores. A maior parte pertence ao quadro e vão mantê-las, vendo como as vão distribuir, e há trabalhadores temporários que vão equacionar se fazem ou não falta", esclareceu o autarca.

A empresa recusou-se a avançar com uma estimativa dos prejuízos, ao contrário da Dura Automotive Portugal, cujo diretor da fábrica do Carregado, Paulo Pacheco, adiantou, numa primeira avaliação aos estragos, que os prejuízos estão "acima dos sete ou oito milhões de euros no mínimo".

No complexo industrial, trabalham 750 pessoas, de quatro empresas, no fabrico de componentes para automóveis, transferindo os operários da linha afetada para as secções que laboram no outro pavilhão que a fábrica tem no Carregado.

A Autoeuropa já informou que vai parar a produção, devido ao incêndio nas duas fábricas do Carregado.

Um problema numa máquina da secção de pinturas da fábrica Caetano Coatings terá causado o incêndio cerca das 19:20 de terça-feira, sendo o curto-circuito uma das possíveis causas apontadas.

Devido ao material inflamável, o incêndio alastrou à fábrica Dura Automotive Portugal, destruindo por completo as secções de montagem e de pintura de ambas.

No interior de ambas, estavam 120 trabalhadores, que conseguiram sair a tempo. Apenas cinco pessoas tiveram de receber assistência no local por inalação de fumo.

O incêndio ficou controlado passadas três horas e só cerca das 00:15 entrou em fase de rescaldo, tendo mobilizado 140 bombeiros e 39 veículos de 14 corporações do distrito de Lisboa.

Esta foi a segunda vez em seis meses que a fábrica da Dura Automotive Portugal, no Carregado, foi atingida por fogo.
  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria", Reportagem Especial de hoje.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Como fugir às comissões bancárias
    7:24

    Contas Poupança

    Há muitos casos em que ter uma conta no banco está a dar prejuízo. Os juros são tão baixos e as comissões de manutenção de conta são tão altas que há portugueses que todos os meses perdem dinheiro apenas porque têm dinheiro no banco. O Contas Poupança foi à procura de alternativas.

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.

  • Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 31

    Mundo

    O número de mortos no atentado com um carro armadilhado atribuído aos talibãs, esta segunda-feira de manhã em Cabul, subiu para 31, aos quais se somam cerca de 40 feridos, de acordo com um novo balanço das autoridades.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34