sicnot

Perfil

País

Salvador Caetano diz que incêndio ocorreu em empresa que já não lhe pertence

A Salvador Caetano esclareceu hoje que o incêndio ocorrido na noite passada no Carregado aconteceu em instalações que tem arrendadas a uma empresa que já não pertence ao grupo, a Caetano Coatings, SA.

Lusa

"Nestas mesmas instalações, o Grupo Salvador Caetano dispõe de uma unidade de comercialização de veículos industriais e um centro de formação que não foram afetados pelo incêndio", explica o grupo empresarial, em comunicado enviado à agência Lusa.

 

O fogo deflagrou terça-feira ao final da tarde em duas fábricas, uma delas referida como sendo da Salvador Caetano e outra da Dura, no mesmo complexo industrial. Foi dado como extinto hoje pelas 00:14, sendo os trabalhos finalizados por volta das 03:00.

 

Do incêndio resultaram sete feridos ligeiros -- cinco fucionários e dois bombeiros -- um dos quais transferido para o Hospital de Vila Franca de Xira.

 

O presidente da Câmara de Alenquer, Pedro Folgado, declarou entretanto que os trabalhadores da fábrica Caetano do Carregado "não deverão ser dispensados", mas colocados noutras secções da empresa.

 

A fábrica de montagem de componentes para automóveis da Dura Automotive Portugal foi atingida duas vezes pelo fogo em apenas seis meses.

 

Em setembro de 2014, a unidade, localizada no concelho de Alenquer, foi atingida por um fogo que começou com uma explosão num quadro elétrico. Além dos estragos, fez dois feridos, um deles grave.

 

Passados seis meses, a fábrica do fornecedor mundial de componentes de automóveis foi atingida pelas chamas que alastraram da Caetano Coatings, SA.


Lusa

 

  • Incêndio no Carregado está dominado

    País

    O fogo que hoje deflagrou nas instalações das fábricas da Salvador Caetano e da Dura, no Carregado, está controlado, disse o comandante dos bombeiros de Alenquer, Rodolfo Batista. Do incêndio resultaram sete feridos ligeiros -- cinco funcionários e dois bombeiros, um dos quais foi transferido para o hospital de vila franca de Xira. 

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".