sicnot

Perfil

País

Deputados discutem hoje alterações a coimas por falta de pagamento de portagens

A Assembleia da República discute hoje seis propostas de diplomas, apresentadas por todos os partidos, que pretendem alterar o regime de sanções aplicável a quem não pagou portagens nas antigas vias sem custos para o utilizador (ex-Scut).

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

JOSE COELHO

Na passada sexta-feira, o PSD e o CDS-PP apresentaram um projeto que prevê a adoção de "um conjunto de medidas excecionais" de recuperação das dívidas à administração fiscal que resultem da violação do dever de pagamento das taxas de portagem.

Tendo por base a "desproporção entre o valor de capital em causa e os valores reclamados pela Autoridade Tributária em sede de processo contraordenacional", o PSD e o PP defendem a dispensa ou redução do pagamento dos juros de mora, dos juros compensatórios e das custas do processo de execução fiscal nos casos de pagamento a pronto, total ou parcial, da dívida.

Por seu lado, o PS pretende modificar os limites - mínimo e máximo - das coimas a aplicar e dos prazos para pagamento.

"As coimas passam a respeitar um valor mínimo correspondente ao dobro do valor da respetiva taxa de portagem, mas nunca inferior a 10 euros, e ao valor máximo correspondente ao quíntuplo dessa taxa de portagem", segundo o projeto de lei.

Também as custas processuais devidas e a determinar em processo de contraordenação "passam a não poder exceder o valor" da coima aplicada.

Na sua proposta, o Bloco de Esquerda (BE) pretende que a Autoridade Tributária e Aduaneira deixe de ter competências para instauração e instrução dos processos de contraordenação pelo não pagamento de portagens.


Por outro lado, o BE apresenta uma proposta de projeto-lei para conceder "a amnistia fiscal extraordinária para processos de contraordenação e de execução fiscal, bem como para aplicação das respetivas coimas, juros, tributos, custos administrativos e custos processuais".


"O atual regime sancionatório mostra-se completamente injusto, desproporcional e violento, o que tem levado, na prática, a cobranças absurdas de multas e à aplicação de uma violência fiscal completamente desproporcional", acusou Carlos Vieira, da Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do BE, em conferência de imprensa, na quarta-feira.


No mesmo sentido vai a proposta do PCP, que propõe que a responsabilidade da cobrança deve ser exclusivamente das respetivas concessionarias, que têm de provar a dívida do utente.


O pagamento das taxas em dívida até agora determina o arquivamento do processo de execução fiscal e a extinção do processo de contraordenação, prevê a proposta comunista.


O partido ecologista Os Verdes propõe que o pagamento voluntário "a qualquer momento implica a extinção imediata de procedimento contraordenacional, dando-se por liquidada a dívida existente", o que se aplica também aos procedimentos já existentes até à aprovação da lei.


Quanto aos prazos de pagamento, o PS propõe o aumento de 15 para 30 dias para o pagamento das taxas de portagem, o PCP também propõe 30 dias, enquanto Os Verdes sugerem o "aumento para 45 dias do prazo para regularizar o pagamento por parte do utente a contar da data da notificação".


Lusa
  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • Avicii tinha deixado os palcos há 2 anos por motivos de saúde
    2:14
  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Portugal compromete-se a enviar profissionais de saúde para África
    2:39
  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • Karlie Kloss, o "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59