sicnot

Perfil

País

Deputados discutem hoje alterações a coimas por falta de pagamento de portagens

A Assembleia da República discute hoje seis propostas de diplomas, apresentadas por todos os partidos, que pretendem alterar o regime de sanções aplicável a quem não pagou portagens nas antigas vias sem custos para o utilizador (ex-Scut).

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

JOSE COELHO

Na passada sexta-feira, o PSD e o CDS-PP apresentaram um projeto que prevê a adoção de "um conjunto de medidas excecionais" de recuperação das dívidas à administração fiscal que resultem da violação do dever de pagamento das taxas de portagem.

Tendo por base a "desproporção entre o valor de capital em causa e os valores reclamados pela Autoridade Tributária em sede de processo contraordenacional", o PSD e o PP defendem a dispensa ou redução do pagamento dos juros de mora, dos juros compensatórios e das custas do processo de execução fiscal nos casos de pagamento a pronto, total ou parcial, da dívida.

Por seu lado, o PS pretende modificar os limites - mínimo e máximo - das coimas a aplicar e dos prazos para pagamento.

"As coimas passam a respeitar um valor mínimo correspondente ao dobro do valor da respetiva taxa de portagem, mas nunca inferior a 10 euros, e ao valor máximo correspondente ao quíntuplo dessa taxa de portagem", segundo o projeto de lei.

Também as custas processuais devidas e a determinar em processo de contraordenação "passam a não poder exceder o valor" da coima aplicada.

Na sua proposta, o Bloco de Esquerda (BE) pretende que a Autoridade Tributária e Aduaneira deixe de ter competências para instauração e instrução dos processos de contraordenação pelo não pagamento de portagens.


Por outro lado, o BE apresenta uma proposta de projeto-lei para conceder "a amnistia fiscal extraordinária para processos de contraordenação e de execução fiscal, bem como para aplicação das respetivas coimas, juros, tributos, custos administrativos e custos processuais".


"O atual regime sancionatório mostra-se completamente injusto, desproporcional e violento, o que tem levado, na prática, a cobranças absurdas de multas e à aplicação de uma violência fiscal completamente desproporcional", acusou Carlos Vieira, da Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do BE, em conferência de imprensa, na quarta-feira.


No mesmo sentido vai a proposta do PCP, que propõe que a responsabilidade da cobrança deve ser exclusivamente das respetivas concessionarias, que têm de provar a dívida do utente.


O pagamento das taxas em dívida até agora determina o arquivamento do processo de execução fiscal e a extinção do processo de contraordenação, prevê a proposta comunista.


O partido ecologista Os Verdes propõe que o pagamento voluntário "a qualquer momento implica a extinção imediata de procedimento contraordenacional, dando-se por liquidada a dívida existente", o que se aplica também aos procedimentos já existentes até à aprovação da lei.


Quanto aos prazos de pagamento, o PS propõe o aumento de 15 para 30 dias para o pagamento das taxas de portagem, o PCP também propõe 30 dias, enquanto Os Verdes sugerem o "aumento para 45 dias do prazo para regularizar o pagamento por parte do utente a contar da data da notificação".


Lusa
  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.