sicnot

Perfil

País

Deputados discutem hoje alterações a coimas por falta de pagamento de portagens

A Assembleia da República discute hoje seis propostas de diplomas, apresentadas por todos os partidos, que pretendem alterar o regime de sanções aplicável a quem não pagou portagens nas antigas vias sem custos para o utilizador (ex-Scut).

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

JOSE COELHO

Na passada sexta-feira, o PSD e o CDS-PP apresentaram um projeto que prevê a adoção de "um conjunto de medidas excecionais" de recuperação das dívidas à administração fiscal que resultem da violação do dever de pagamento das taxas de portagem.

Tendo por base a "desproporção entre o valor de capital em causa e os valores reclamados pela Autoridade Tributária em sede de processo contraordenacional", o PSD e o PP defendem a dispensa ou redução do pagamento dos juros de mora, dos juros compensatórios e das custas do processo de execução fiscal nos casos de pagamento a pronto, total ou parcial, da dívida.

Por seu lado, o PS pretende modificar os limites - mínimo e máximo - das coimas a aplicar e dos prazos para pagamento.

"As coimas passam a respeitar um valor mínimo correspondente ao dobro do valor da respetiva taxa de portagem, mas nunca inferior a 10 euros, e ao valor máximo correspondente ao quíntuplo dessa taxa de portagem", segundo o projeto de lei.

Também as custas processuais devidas e a determinar em processo de contraordenação "passam a não poder exceder o valor" da coima aplicada.

Na sua proposta, o Bloco de Esquerda (BE) pretende que a Autoridade Tributária e Aduaneira deixe de ter competências para instauração e instrução dos processos de contraordenação pelo não pagamento de portagens.


Por outro lado, o BE apresenta uma proposta de projeto-lei para conceder "a amnistia fiscal extraordinária para processos de contraordenação e de execução fiscal, bem como para aplicação das respetivas coimas, juros, tributos, custos administrativos e custos processuais".


"O atual regime sancionatório mostra-se completamente injusto, desproporcional e violento, o que tem levado, na prática, a cobranças absurdas de multas e à aplicação de uma violência fiscal completamente desproporcional", acusou Carlos Vieira, da Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do BE, em conferência de imprensa, na quarta-feira.


No mesmo sentido vai a proposta do PCP, que propõe que a responsabilidade da cobrança deve ser exclusivamente das respetivas concessionarias, que têm de provar a dívida do utente.


O pagamento das taxas em dívida até agora determina o arquivamento do processo de execução fiscal e a extinção do processo de contraordenação, prevê a proposta comunista.


O partido ecologista Os Verdes propõe que o pagamento voluntário "a qualquer momento implica a extinção imediata de procedimento contraordenacional, dando-se por liquidada a dívida existente", o que se aplica também aos procedimentos já existentes até à aprovação da lei.


Quanto aos prazos de pagamento, o PS propõe o aumento de 15 para 30 dias para o pagamento das taxas de portagem, o PCP também propõe 30 dias, enquanto Os Verdes sugerem o "aumento para 45 dias do prazo para regularizar o pagamento por parte do utente a contar da data da notificação".


Lusa
  • Militar ferido com gravidade em acidente com Pandur
    1:19

    País

    O acidente em Vila Real que envolveu uma viatura militar fez três feridos. Uma das vítimas ficou em estado grave e teve de ser transportada de helicóptero para o Hospital Santo António do Porto. O militar ficou encarcerado no veículo blindado, o que dificultou os trabalhos de socorro.

  • Ricardo Salgado constituído arguido e interrogado no DCIAP
    2:46

    Operação Marquês

    O ex-presidente do BES está a ser ouvido no DCIAP, a responder às questões do procurador Rosário Teixeira e do inspetor da Autoridade Tributária Paulo Silva. Têm sido levantadas dúvidas quanto ao dinheiro em contas de Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates, e suspeita-se que grande parte desses 20 milhões de euros tenham vindo de sociedades com ligação ao grupo Espírito Santo.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".