sicnot

Perfil

País

Urgências, cirurgias e consultas aumentaram em 2014

O número de cirurgias realizadas em hospitais públicos aumentou em 2014, atingindo um total de 557.339, mas os episódios de urgência também aumentaram, com cerca de 60.400 casos urgentes a mais do que no ano anterior, segundo dados oficiais.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Michael Buholzer / Reuters

De acordo com os dados da atividade assistencial do ano de 2014, da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), de uma maneira geral a "atividade do SNS [Serviço Nacional de Saúde] mantém níveis de crescimento", atingindo um "valor inédito" nas cirurgias programadas.

O número de cirurgias programadas em 2014 foi de 557.339, sendo equivalente a um aumento de 1 por cento ou a mais 6.603 cirurgias realizadas do que no ano anterior, revela a ACSS, especificando que, do total de intervenções cirúrgicas, 57,4 por cento foram realizadas em ambulatório (55,8 por cento em 2013).  

Segundo a ACSS, também se verificaram mais episódios de urgência do que no ano anterior, com um total de 6,1 milhões casos urgentes atendidos.

O aumento, correspondente a 1 por cento, ou seja, mais de 60 mil episódios de urgência, é justificado pela ACSS com a sazonalidade dos surtos de doenças.

No que respeita ao acesso aos cuidados de saúde primários, observou-se "a continuação da tendência dos últimos anos no aumento do acesso", designadamente através de um crescimento de 0,6 por cento do número de consultas (mais 165.268 consultas do que em 2013). 

Esta tendência também se verificou no número de utilizadores dos cuidados de saúde primários: mais 7.712 utentes utilizadores, quando no ano passado foram 7.053.513.

A ACSS regista ainda um "aumento significativo" nas consultas de enfermagem, com uma subida de 6,9 por cento - mais um milhão de consultas do que em 2013 -, num total anual de 15,6 milhões de consultas.    

O número de consultas médicas não presenciais (1,3 por cento) teve um aumento superior ao das consultas presenciais (0,3 por cento), o que -- na opinião da ACSS -- reflete a melhoria do acesso, com maior flexibilidade e adequação às necessidades das populações. 

Ao nível da consulta externa hospitalar, constatou-se um crescimento de 0,9 por cento nas primeiras consultas (correspondente a 3,4 milhões de consultas) e de 1,9 por cento nas consultas subsequentes (equivalente a 8,48 milhões de consultas). 

No total realizaram-se mais 188.123 consultas médicas hospitalares do que no período homólogo, sintetiza a ACSS, destacando a "tendência de aumento da produção de consultas nos hospitais do SNS", nomeadamente primeiras consultas.

Ao nível do internamento, a ACSS diz que os dados recolhidos reforçam "a tendência de transferência da atividade de cirurgia convencional para o ambulatório".



Lusa
  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.