sicnot

Perfil

País

PCP diz-se preparado para assumir todas as responsabilidades que o povo queira

O secretário-geral do PCP pediu hoje um reforço da CDU nas legislativas para uma "rutura com a política de direita", afirmando que os comunistas estão preparados para assumir todas as responsabilidades que o povo lhes queira atribuir.

MIGUEL A. LOPES

Num almoço comemorativo dos 94 anos do PCP, no Seixal, Jerónimo de Sousa dirigiu-se àqueles que dão razão ao seu partido, mas consideram que não tem "condições de chegar lá", e declarou: "Com mais apoios, o PCP tem condições de chegar lá para fazer aquilo que vocês anseiam e reivindicam. Aqui estamos, afirmando-nos prontos para assumir todas as responsabilidades que o povo nos queira atribuir, na efetivação de uma política patriótica de esquerda".

Na sua intervenção, o secretário-geral do PCP alegou que os comunistas não podem esperar "grande coisa da comunicação social", colocou o PS do lado das forças que "visam perpetuar a atual política" e acusou a maioria PSD/CDS-PP de esconder um plano de reforma do Estado para a próxima legislatura que implica "cortar mais nas reformas, mais nas pensões, mais nos direitos".

Lusa
  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.