sicnot

Perfil

País

Ferro Rodrigues diz que Passos fez mal em não pedir desculpa aos portugueses

O líder parlamentar do PS considerou hoje que o primeiro-ministro fez bem em iniciar a sua intervenção com a questão da sua carreira contributiva perante a Segurança Social, mas fez mal ao "não pedir desculpa" aos portugueses.

LUSA

Ferro Rodrigues falava no debate quinzenal, na Assembleia da República, depois da intervenção de abertura a cargo do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

"O senhor primeiro-ministro fez bem em abordar logo o assunto do seu passado contributivo perante a Segurança Social, mas fez mal em não ter aproveitado a ocasião para pedir desculpa a Portugal, aos portugueses e aos seus eleitores", declarou o presidente da bancada socialista.

Perante Passos Coelho, Ferro Rodrigues defendeu que a questão da carreira contributiva de Pedro Passos Coelho perante a Segurança Social "é política e não pessoal".

Esta posição do líder da bancada socialista motivou protestos de deputados do PSD, com o presidente do Grupo Parlamentar do PS a reagir: "Há gente aí dos Super Dragões?", questionou, numa alusão à claque do Futebol Clube do Porto.

Ferro Rodrigues apresentou depois "cinco motivos" para sustentar que a controvérsia em torno do não pagamento por Pedro Passos Coelho, entre 1999 e 2004, das suas contribuições à Segurança Social se trata de uma questão política.

"Em 2012, quando já era primeiro-ministro, tomou conhecimento que tinha dívidas à Segurança Social - não sei se de todas as dívidas, porque há informações pedidas que ainda não foram dadas -, mas não procedeu imediatamente ao pagamento. Foi preciso 2015 e mais uma pressão de um jornalista para regularizar a situação. Por isso, esta questão é política, porque o atinge enquanto primeiro-ministro e não quando era somente trabalhador independente", disse o líder parlamentar do PS.

Ferro Rodrigues considerou também que Passos Coelho deu respostas contraditórias nas últimas semanas, o que "agravou o problema político".

"Mas o seu terceiro problema político são os seus amigos e apoiantes. Com amigos desses, diria que não é preciso ter adversários", apontou o líder parlamentar do PS, numa alusão à explicação - ou melhor, segundo Ferro, "ao barril negativo" - do ministro da Segurança Social, Pedro Mota Soares, sobre a situação contributiva de Passos Coelho, procurando então culpar os serviços que tutela da Segurança Social.

Ainda de acordo com Ferro Rodrigues, o Presidente da República, "ao dizer que já cheirava a campanha eleitoral, também atuou mal e só desajudou o primeiro-ministro - logo ele, Cavaco Silva, que foi a pessoa após o 25 de Abril com mais campanhas eleitorais".

"Mas ainda há na situação do primeiro-ministro a questão levantada pelo seu anterior moralismo, pois já não estamos agora perante o Passos Coelho do rigor, do abandono da zona de conforto, do custe o que custar, ou da cobrança coerciva de impostos. O que diz o primeiro-ministro hoje ao Pedro Passos Coelho de há dois anos?", questionou o ex-secretário-geral do PS.


Lusa
  • Ferro Rodrigues acusa Passos de não respeitar presunção da inocência
    0:41

    País

    O líder parlamentar do PS diz que a carta de Sócrates é uma reação indignada à violação de um direito constitucional por parte de Passos Coelho e que a presunção de inocência não está a ser respeitada. Ferro Rodrigues considera também que António Costa fez bem quando ontem não respondeu às perguntas da SIC sobre a dívida do primeiro-ministro à Segurança Social.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.