sicnot

Perfil

País

Rui Pereira diz que ameaça terrorista é remota em Portugal, mas que o risco aumentou

O presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo (OSCOT), Rui Pereira, disse hoje que o grau de risco terrorista aumentou em Portugal nos últimos tempos, apesar de a ameaça ser remota.

© Rafael Marchante / Reuters

"Embora Portugal não esteja ainda na primeira linha da ameaça do terrorismo de inspiração fundamentalista, nos últimos tempos o grau de ameaça aumentou", disse aos jornalistas Rui Pereira, no final de um debate organizado pelo OSCOT sobre "terrorismo, media e novos media".

O ex-ministro da Administração Interna justificou este aumento do risco terrorista com o facto do Estado Islâmico (EI) ser "uma organização especialmente perigosa que dispõe de uma base territorial sobre a qual pretende exercer um poder soberano", constituindo, por isso, "uma ameaça para todos os estados ocidentais".

Rui Pereira adiantou que não se pode excluir que os luso-descendentes ou portugueses que foram recrutados pelo Estado Islâmico venham a praticar um atentado terrorista em Portugal. 

"Não é um cenário muito provável, não é um perigo iminente, mas é um perigo", sustentou.

Sobre a detenção de dois alegados terroristas espanhóis hoje de manhã no aeroporto Sá Carneiro, no Porto, Rui Pereira afirmou que, pela localização de Portugal, existem pessoas a atravessar o território, sublinhando que as detenções feitas pelo SEF demonstram que as forças e serviços de segurança estão a funcionar bem.

"Portugal tem uma localização geoestratégica ímpar, é uma varanda aberta sobre o Atlântico virada para a América e para África, portanto, é natural, pela sua localização até em relação a Espanha que haja pessoas que atravessem o território português", afirmou, acrescentando que o importante é que as forças e serviços de segurança, que se têm demonstrado competentes, cumpram o seu papel

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) deteve, hoje de manhã, um cidadão de nacionalidade espanhola, portador de um passaporte venezuelano falso, condenado em Espanha a 11 anos de prisão por "crimes de participação em organização terrorista".

Segundo o SEF, o cidadão detido pretendia sair de Portugal com um passaporte falso com destino à Venezuela.

Foi ainda retido "para identificação" um segundo cidadão de dupla nacionalidade, espanhola e venezuelana, que "acompanhava o detido".

O debate do OSCOT realizou-se por ocasião do dia europeu em memória das vítimas de terrorismo, que hoje se assinala.

Lusa
  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35

    País

    A data para as próximas eleições autárquicas já gerou consenso. 1 de outubro é a data pedida pelos vários partidos ouvidos esta segunda-feira por António Costa. Na próxima quinta-feira, no Conselho de Ministros, o dia de ir às urnas vai ser escolhido.