sicnot

Perfil

País

Período epidémico da gripe chegou ao fim

 A Direção-Geral da Saúde (DGS) garantiu hoje que o período epidémico da gripe já terminou e que a mortalidade voltou aos valores normais.

O vacinómetro demonstra ainda que, do total de grupos inquiridos, 92,1% já tinham recebido a vacina contra a gripe noutras épocas, enquanto os restantes (7,9%) se vacinaram este ano pela primeira vez (Arquivo)

O vacinómetro demonstra ainda que, do total de grupos inquiridos, 92,1% já tinham recebido a vacina contra a gripe noutras épocas, enquanto os restantes (7,9%) se vacinaram este ano pela primeira vez (Arquivo)

AP/ ROBERTO PFEIL

Em comunicado, a DGS afirma que a taxa de incidência de gripe está a diminuir há duas semanas consecutivas e apresenta "tendência decrescente", indicando que "o período epidémico da gripe já terminou".


Na semana de 2 a 8 de março (décima semana do ano), o número de óbitos registado por "todas as causas" situa-se nos valores considerados normais de mortalidade para a época.


A DGS prevê que esta situação se mantenha, pondo fim ao excesso de mortalidade que se registou e que esteve associado ao frio extremo, ao aumento da incidência de infeções respiratórias agudas e à atividade gripal.


O último Boletim de Vigilância Epidemiológica da Gripe, de 5 de março, dava conta de que desde o início da época de vigilância deram entrada nos hospitais da rede 84 doentes com gripe, a maioria com o vírus B e com doença crónica subjacente, sendo que catorze pacientes morreram.


O excesso de óbitos voltou a ser observado entre idosos, com 75 ou mais anos, nas regiões do Norte e Centro.


Lusa
  • Marcelo promete entregar carta de menina com paralisia cerebral ao primeiro-ministro
    3:05

    País

    O Presidente da República está preocupado com os cuidadores dos cidadãos que precisam de cuidados paliativos. No Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, que se assinalou este sábado, Marcelo Rebelo de Sousa visitou a Casa do Tejo, em Algés, onde três famílias de crianças com paralisia cerebral e outros problemas de saúde são recebidas em conjunto com os pais para que toda a famíla possa receber apoio de técnicos especializados. O Presidente recebeu uma carta de uma menina de 5 anos, com paralisia cerebral, e prometeu que a vai entregar ao primeiro-ministro, para que seja aberta uma porta legislativa mais larga para os problemas das pessoas deficientes.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02