sicnot

Perfil

País

Ferro Rodrigues diz que a direita está "em morte lenta mas segura"

O líder parlamentar do PS sustentou hoje que o modelo do Governo PSD/CDS "fracassou", razão pela qual defendeu que "a direita terá uma morte lenta mas segura" e que António Costa será primeiro-ministro dentro de seis meses.

Lusa

Ferro Rodrigues falava na sessão de abertura das Jornadas Parlamentares do PS em Gaia, num discurso em que disse ser "uma honra" desempenhar as funções de presidente da bancada socialista, "com a certeza que [o secretário-geral] António Costa será primeiro-ministro" dentro de seis meses.

A seguir, também em outra nota de improviso, o líder da bancada socialista rejeitou ter pessoalmente "uma visão maniqueísta" entre esquerda e direita, no sentido de que "de um lado estão os bons e do outro os maus".

"Mas há uma coisa que é óbvia: As políticas ensaiadas pela direita nestes últimos quatro anos, este modelo de estar de joelhos perante a 'troika' (Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia), este modelo de empobrecimento para se chegar a uma certa competitividade, este modelo falhou", sustentou.

Para Ferro Rodrigues, o modelo de austeridade "fracassou" em toda a linha.

"A direita está em morte lenta mas segura", disse, antes de defender que nos últimos quatro anos se assistiu "a um aumento dramático da pobreza, com 2,7 milhões de portugueses em risco de pobreza - um em cada quatro cidadãos".

De acordo com o presidente do Grupo Parlamentar do PS, desde o início da presente legislatura, assistiu-se "à destruição da classe média, ao ataque aos reformados e aos funcionários públicos".

"Reformados e funcionários públicos que, dispondo hoje de um rendimento mais baixo que no início de 2012, viram somar-se sobretaxas extraordinárias, alterações nos escalões de rendimento no IRS, a limitação das deduções à coleta em áreas como a saúde e habitação, a eliminação dos passes sociais para os jovens do ensino básico, secundário e superior e, mesmo, uma reforma da fiscalidade verde com uma carga adicional de impostos de 150 milhões de euros".

Uma reforma da fiscalidade verde, segundo Ferro Rodrigues, apenas "para benefício de um quociente familiar, com efeito regressivo nas famílias com descendentes ou ascendentes a cargo, que prejudica claramente aqueles com menos rendimentos".

"Quatro anos foram suficientes para impor a Portugal a maior carga fiscal de sempre, que atingirá este ano 37 por cento do PIB (Produto Interno Bruto), segundo as contas do próprio Governo. Mas os números não são apenas números. São pessoas", advogou.

Na sua intervenção, Ferro Rodrigues, que assume as funções de líder parlamentar do PS desde outubro, procurou também fazer um breve balanço da atividade da bancada socialista nesta sessão legislativa.

De acordo com o ex-ministro socialista dos governos de António Guterres, desde outubro passado, houve "uma intensa ação legislativa em paralelo com 253 perguntas e requerimentos". 

"Uma ação que passou pelas 34 propostas de alteração que apresentámos ao Orçamento do Estado para 2015 e que foram todas rejeitadas pela maioria PSD/CDS", apontou.

Para além do Orçamento do Estado, ainda segundo o balanço feito por Ferro Rodrigues, o PS apresentou 76 iniciativas legislativas: 29 projetos de lei, 42 projetos de resolução e cinco apreciações parlamentares. 

"Das iniciativas que já foram votadas, 73 por cento foram rejeitadas, quase sempre por responsabilidade exclusiva da maioria PSD/CDS. Argumentam [na maioria PSD/CDS] que as nossas propostas são socialistas. Pois bem, ainda bem que são socialistas", declarou, numa nota de esquerda que lhe valeu uma salva de palmas da plateia.







Lusa
  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • Provavelmente o melhor golo da noite de Liga Europa
    1:24
  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos de final
    1:48
  • O perfil dos novos ministros
    3:22

    País

    Pedro Siza Vieira e Eduardo Cabrita são os dois novos ministros que tomam posse no próximo sábado. Ambos têm uma particularidade: são amigos de longa data do primeiro-ministro António Costa.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • Fogos na Califórnia provocaram 42 mortos e perdas acima de mil milhões de dólares

    Mundo

    O comissário dos seguros da Califórnia afirmou esta quinta-feira que as perdas provocadas pelos incêndios que dizimaram extensas áreas deste Estado norte-americano excedem os mil milhões de dólares (844 milhões de euros). Estes incêndios, que começaram no condado de Sonoma County, já provocaram a morte a 42 pessoas no mês de outubro.

  • Quem está ao lado de Trump? Melania ou uma sósia?

    Mundo

    A especulação surgiu no Twitter: estaria Trump acompanhado de uma sósia de Melania para ocultar a ausência da mulher num evento oficial? A teoria da conspiração ganhou depois força nas redes sociais. Julgue por si mesmo.

    SIC

  • Norte-americano entrega-se após perder aposta com a polícia no Facebook

    Mundo

    Um jovem de 21 anos procurado pela polícia norte-americana entregou-se, esta segunda-feira, depois de perder uma aposta com a polícia, no Facebook. Michael Zaydel prometeu entregar-se se uma publicação sobre o seu desaparecimento chegasse às mil partilhas, na rede social. O jovem norte-americano prometeu ainda levar uma dúzia de donuts, caso os agentes da cidade de Redford conseguissem ganhar a aposta.

    SIC