sicnot

Perfil

País

Helena Roseta defende que "estado de raiva" dos portugueses deve ser sentido nas urnas

A presidente da Assembleia Municipal de Lisboa disse hoje que é preciso que "o estado de raiva" passe das manifestações para as urnas e criticou o "cinismo" da política portuguesa, referindo-se às falhas na carreira contributiva do primeiro-ministro.

"Temos que dar um passo muito importante que é passar do estado de raiva não só para manifestações de rua, é preciso passar das mobilizações, das ruas e das redes sociais para as urnas", disse Helena Roseta na sua intervenção no Congresso da Cidadania, Rutura e Utopia, em Lisboa.

Helena Roseta acrescentou que Portugal assiste todos os dias "ao cinismo na política portuguesa, com a sistemática aplicação de dois pesos e duas medidas em todas as situações, mais recentemente com as dívidas à Segurança Social e ao fisco do primeiro-ministro, que para ele é indulgente e para todos nós é intransigente".

A presidente da Assembleia Municipal de Lisboa sublinhou que "há uma fratura crescente" entre as pessoas e os políticos, e criticou o Presidente da República, Cavaco Silva, por considerar que "não há problemas, está tudo bem".

"As pessoas revoltam-se porque não é isso que se espera de um Presidente da República eleito", disse.

Para os novos partidos e movimentos, Helena Roseta deixou o apelo que "é preciso fazer a diferença e fazer diferente", pedindo que "não caiam nos mesmos vícios e defeitos, sejam humildes no exercício do poder".

No mesmo painel de Helena Roseta esteve como orador Duarte Cordeiro, deputado da Assembleia Municipal de Lisboa.

O também líder da concelhia de Lisboa do PS reiterou que o seu partido deve procurar uma convergência de políticas, independentemente de obter, ou não, maioria absoluta nas próximas eleições legislativas, acrescentando que "convergência não significa coligações, pode também significar mas não significa necessariamente".

Em declarações aos jornalistas no final da sua intervenção no Congresso da Cidadania, Rutura e Utopia, em Lisboa, Duarte Cordeiro disse que "existe campo para a convergência e é fundamental que os partidos se disponibilizem".

Questionado se o PS procura uma convergência à esquerda, Duarte Cordeiro sublinhou que "António Costa, desde a sua eleição, tem tido um discurso aberto e disponível para a convergência".

 Na opinião do dirigente socialista, estas ligações políticas dariam lugar a "alternativas mais fortes e mudanças mais rápidas", não estando limitadas aos partidos, mas "cada vez mais apoiadas em movimentos, formais ou informais, da sociedade civil".  

O dirigente socialista abordou também a abertura dos partidos a pessoas não filiadas, a situação política da Grécia e as atitudes do Governo português face aos resultados do programa de ajustamento.  

"Considero que a abertura dos partidos a não membros é cada vez mais importante, seja para simplesmente partilharem e votarem nas escolhas programáticas ou nos candidatos que são propostos, seja para posteriormente participarem nessas mesmas candidaturas como protagonistas", disse.


Lusa
  • Tomadas medidas para evitar danos ambientais após acidente na barra da Armona
    1:49

    País

    Quatro tripulantes foram transportados para o hospital com hipotermia, depois de terem caído ao mar. A embarcação onde seguiam, e que faz trabalhos de reposição de areias, virou-se esta manhã, na ilha da Armona, em Olhão. As autoridades vão abrir um inquérito para apurar as causas do acidente e estão a tomar medidas para evitar danos ambientais, visto que a embarcação transportava 12 mil litros de gasóleo.

  • Papa no Chile em ambiente de contestação à Igreja Católica
    3:13

    Mundo

    O Papa pediu hoje perdão pelos crimes de pedofilia cometidos por membros da Igreja Católica no Chile, referindo que sentiu "dor e vergonha" diante do "dano irreparável" causado às crianças vítimas de abuso sexual. Francisco está a cumprir uma deslocação de três dias ao Chile, onde a contestação à visita e à Igreja se faz sentir. O Papa enfrenta um ambiente hostil na sexta viagem à América Latina, devido à denúncia de abusos sexuais na Igreja.

  • Reviravolta na Operação Fizz
    1:09

    País

    O juiz que vai julgar o chamado processo da Operação Fizz decidiu aceitar as denúncias de Orlando Figueira contra o presidente do Banco Atlântico e o advogado Daniel Proença de Carvalho. As acusações do principal arguido contra o banqueiro Carlos Silva e o advogado Proença de Carvalho podem trazer uma reviravolta ao processo.

  • Apoio psicológico fundamental em Vila Nova da Rainha
    2:19
  • Projeto Bairros Sem Cárie levou 300 pessoas do Seixal ao dentista
    3:08

    País

    Portugal tem dos piores indicadores de saúde oral da Europa e ir ao dentista é quase um luxo. Num país assim ganham ainda mais relevância iniciativas como o projeto Bairros Sem Cárie. 300 pessoas de bairros sociais do Seixal tiveram uma consulta de estomatologia gratuita.

  • Homem rompe a garganta ao tentar impedir espirro

    Mundo

    Impedir um espirro apertando o nariz pode causar sérias lesões. Foi o que aconteceu a um homem na Grã-Bretanha que teve de ser hospitalizado porque sofreu uma rutura na garganta ao apertar boca e nariz ao espirrar.