sicnot

Perfil

País

Hospitais de Lisboa afetados pela greve na função pública

Hospitais de Lisboa afetados pela greve na função pública

Os sindicatos garantem que vão recorrer da decisão do tribunal arbitral que alterou os serviços mínimos na saúde. Segundo estes, a adesão anda muito próxima dos 100 por cento.

  • Hoje há greve na função pública

    Economia

    Os trabalhadores da função pública cumprem hoje um dia de greve e os efeitos da paralisação sentiram-se já nos turnos da madrugada. Os números divulgados pelos sindicatos aponta para uma adesão entre os 80% e os 100%. Os setores mais afetados serão a educação, saúde, justiça e administração local. A greve foi convocada em protesto contra os cortes salariais, o aumento do horário semanal das 35 para as 40 horas, o regime de requalificação, e o congelamento das carreiras.

  • Sindicato garante grande adesão à greve na saúde e na educação
    1:34

    País

    O Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Norte fala numa forte adesão na saúde e educação, onde ainda há três semanas houve uma paralisação do pessoal não docente. Orlando Gonçalves alerta ainda para os problemas criados pela alteração dos serviços mínimos nos hospitais.

  • CGTP reafirma a urgência de mudar de políticas
    1:23

    Economia

    A Frente Comum rejeita a ideia de que os funcionários públicos possam ficar mal vistos pelo facto da greve de hoje acontecer a uma sexta-feira, permitindo um fim-de-semana prolongado. A dirigente sindical Ana Avola esteve no arranque da paralisação no hospital São José, em Lisboa, juntamente com Arménio Carlos. O secretário-geral da CGTP reafirma a urgência de mudar de políticas.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.