sicnot

Perfil

País

Suspeito de raptar e agredir menina em Ponta Delgada fica em prisão preventiva

O tribunal de Ponta Delgada, nos Açores, decidiu colocar o homem suspeito de raptar e agredir uma menina de 12 anos em prisão preventiva, anunciou hoje aquela instituição em comunicado lido aos jornalistas.

Dezenas de pessoas concentraram-se à entrada do Tribunal de Ponta Delgada

Dezenas de pessoas concentraram-se à entrada do Tribunal de Ponta Delgada

EDUARDO COSTA/LUSA

O homem esteve hoje de manhã a ser ouvido pelo juiz num local não divulgado por razões de segurança, disse fonte da Comarca dos Açores.

A PSP revelou no domingo que uma menina de 12 anos foi encontrada "amarrada, amordaçada e com marcas de violência física", no concelho de Ponta Delgada, e que tinha sido detido o homem suspeito de a ter raptado e agredido.

Segundo a informação divulgada pela PSP, o homem, de 44 anos, foi detido, no sábado, "por existirem fortes indícios de rapto, violação e homicídio na forma tentada".

A Polícia de Segurança Pública disse que recebeu no sábado "a notícia do desaparecimento de uma menina de 12 anos numa das freguesias de Ponta Delgada" e que, após várias "diligências", conseguiu encontrá-la "amarrada, amordaçada e com marcas de violência física".

A menor estava "fisicamente muito mal tratada", num estado que indicava que "poderia correr risco de vida", revelou ainda o Comando Regional da PSP dos Açores.

A menina foi encontrada, poucas horas depois de ter sido dado o alerta do seu desaparecimento, na casa do homem detido no sábado, um vizinho da sua família, e está internada no hospital de Ponta Delgada, numa situação clínica considerada estável.


Com Lusa
  • Protestos e violência no Rio de Janeiro
    1:08
  • Marcelo diz que a Europa precisa de paixão
    2:36
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.