sicnot

Perfil

País

Cavaco Silva defende Europa mais solidária e inclusiva

O Presidente da República afirmou hoje em Paris, após o seu primeiro encontro com o homólogo François Hollande que é necessário construir uma Europa mais solidária e inclusiva para combater problemas como o desemprego.

ETIENNE LAURENT

"Os esforços individuais de cada Estado membro são importantes, mas só por si não são suficientes para alcançar o resultado satisfatório na zona do euro e combater este elevadíssimo número de desempregados que ainda existe na Europa, um número se aproxima de é de 26 milhões", afirmou Aníbal Cavaco Silva numa declaração conjunta com François Hollande no Palácio do Eliseu.

"É necessária uma visão mais integrada e política, uma coordenação reforçada que permita corrigir os desequilíbrios (...) é necessário construir uma europa mais solidária e mais inclusiva", afirmou.

Para o chefe de Estado português "são muitas as questões europeias e internacionais que beneficiam de um diálogo e de uma concertação intensa como é o caso da segurança interna e das fronteiras da União Europeia, o relançamento do crescimento económico na Europa e o desenvolvimento de políticas nos investimentos estruturais".

Após o encontro de cerca de uma hora com François Hollande, Cavaco Silva sublinhou nesta declaração que Portugal está empenhado no reforço das relações com França, as quais disse estarem "muito sólidas", sendo um dos principais parceiros económicos.

"Esta relação reforçou-se" nos últimos anos e França é o segundo maior investidor estrangeiro depois de Espanha, acrescentou o chefe de Estado.

O Presidente da República disse ainda que falou com Hollande acerca das reformas que têm sido implementadas em Portugal no âmbito do programa de ajustamento e do "excelente entendimento politico entre os dois países deve ser aproveitado para tirar partido no quadro da União Europeia quer noutros fóruns relevantes".

O Presidente francês congratulou-se com a visita de Cavaco Silva afirmando que há 10 anos que o Eliseu não recebia um Presidente português.

Sobre Portugal, o Presidente francês disse que "conheceu uma austeridade muito dura mas o país está no caminho do crescimento".

"Queremos juntos desenvolver essa perspetiva de desenvolvimento", concluiu o Presidente francês.

O encontro com o Presidente francês encerrou a deslocação de dois dias de Cavaco Silva a Paris, onde teve encontros na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE), com representantes da comunidade portuguesa e com investidores franceses, tendo destacado, nas suas várias intervenções, o desempenho positivo da economia portuguesa após o programa de ajustamento.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.