sicnot

Perfil

País

CGTP defende continuação da luta para alcançar mudanças

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, defendeu esta quarta-feira que os portugueses devem continuar a lutar por mudanças políticas e não ficar à espera dos resultados das próximas eleições legislativas para conseguir melhores condições de vida e de trabalho.

Arménio Carlos considerou ainda que tem sido a luta dos trabalhadores que tem impedido o Governo de concretizar o processo de privatização de empresas como a TAP, a Carris, o Metro ou a Transtejo.

Arménio Carlos considerou ainda que tem sido a luta dos trabalhadores que tem impedido o Governo de concretizar o processo de privatização de empresas como a TAP, a Carris, o Metro ou a Transtejo.

Lusa

"Os trabalhadores devem continuar a lutar. Neste momento, a pior coisa a fazer seria esperar para ver o que as eleições vão dar. É preciso continuar a lutar para mudar", disse Arménio Carlos à agência Lusa no final de um Plenário Nacional de Sindicatos da intersindical.

O sindicalista referiu que as lutas dos trabalhadores já começaram a dar resultados, nomeadamente com a obtensão de aumentos salariais a rondar os 40 euros, dependendo das empresas e setores de atividade, da transformação de postos de trabalho precários em postos de trabalho efetivos e da reintegração de trabalhadores ilegalmente despedidos.

Arménio Carlos considerou ainda que tem sido a luta dos trabalhadores que tem impedido o Governo de concretizar o processo de privatização de empresas como a TAP, a Carris, o Metro ou a Transtejo.

Admitiu que este processo não está encerrado e, por isso, será "uma das referências da conflitualidade dos próximos tempos".

"O que está em causa são os direitos dos trabalhadores, os serviços públicos e os preços a que são prestados", afirmou Arménio Carlos.

Na intervenção de encerramento do Plenário de Sindicatos, órgão máximo entre congressos, o líder da Inter exortou os mais de 500 sindicalistas presentes a mobilizarem os trabalhadores nos locais de trabalho para que participem ativamente nas manifestações do Dia do Trabalhador, em defesa de melhores condições de vida.

Aliás, na resolução aprovada pelos sindicalistas é assumida a decisão de "comemorar na forma de uma grandiosa manifestação nacional descentralizada da CGTP-in os 125 anos do 1º de Maio".

Arménio Carlos disse à Lusa que existem todos os motivos para "uma grande participação no 1º de Maio", quer dos trabalhadores, quer das suas famílias, e defendeu que esta deve ser "a grande manifestação do primeiro semestre em Portugal".

O sindicalista lembrou ainda que a meta estabelecida no último congresso, há três anos, para conseguir 100.000 novos sindicalizados ao longo do mandato de quatro anos, vai ser cumprida pois em dezembro de 2014 os sindicatos da CGTP já tinham conseguido mais de 76.000 novos sócios. 
Lusa
  • CGTP reafirma a urgência de mudar de políticas
    1:23

    Economia

    A Frente Comum rejeita a ideia de que os funcionários públicos possam ficar mal vistos pelo facto da greve de hoje acontecer a uma sexta-feira, permitindo um fim-de-semana prolongado. A dirigente sindical Ana Avola esteve no arranque da paralisação no hospital São José, em Lisboa, juntamente com Arménio Carlos. O secretário-geral da CGTP reafirma a urgência de mudar de políticas.

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • Provavelmente o melhor golo da noite de Liga Europa
    1:24
  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos de final
    1:48
  • O perfil dos novos ministros
    3:22

    País

    Pedro Siza Vieira e Eduardo Cabrita são os dois novos ministros que tomam posse no próximo sábado. Ambos têm uma particularidade: são amigos de longa data do primeiro-ministro António Costa.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • Fogos na Califórnia provocaram 42 mortos e perdas acima de mil milhões de dólares

    Mundo

    O comissário dos seguros da Califórnia afirmou esta quinta-feira que as perdas provocadas pelos incêndios que dizimaram extensas áreas deste Estado norte-americano excedem os mil milhões de dólares (844 milhões de euros). Estes incêndios, que começaram no condado de Sonoma County, já provocaram a morte a 42 pessoas no mês de outubro.

  • Quem está ao lado de Trump? Melania ou uma sósia?

    Mundo

    A especulação surgiu no Twitter: estaria Trump acompanhado de uma sósia de Melania para ocultar a ausência da mulher num evento oficial? A teoria da conspiração ganhou depois força nas redes sociais. Julgue por si mesmo.

    SIC

  • Norte-americano entrega-se após perder aposta com a polícia no Facebook

    Mundo

    Um jovem de 21 anos procurado pela polícia norte-americana entregou-se, esta segunda-feira, depois de perder uma aposta com a polícia, no Facebook. Michael Zaydel prometeu entregar-se se uma publicação sobre o seu desaparecimento chegasse às mil partilhas, na rede social. O jovem norte-americano prometeu ainda levar uma dúzia de donuts, caso os agentes da cidade de Redford conseguissem ganhar a aposta.

    SIC