sicnot

Perfil

País

CGTP defende continuação da luta para alcançar mudanças

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, defendeu esta quarta-feira que os portugueses devem continuar a lutar por mudanças políticas e não ficar à espera dos resultados das próximas eleições legislativas para conseguir melhores condições de vida e de trabalho.

Arménio Carlos considerou ainda que tem sido a luta dos trabalhadores que tem impedido o Governo de concretizar o processo de privatização de empresas como a TAP, a Carris, o Metro ou a Transtejo.

Arménio Carlos considerou ainda que tem sido a luta dos trabalhadores que tem impedido o Governo de concretizar o processo de privatização de empresas como a TAP, a Carris, o Metro ou a Transtejo.

Lusa

"Os trabalhadores devem continuar a lutar. Neste momento, a pior coisa a fazer seria esperar para ver o que as eleições vão dar. É preciso continuar a lutar para mudar", disse Arménio Carlos à agência Lusa no final de um Plenário Nacional de Sindicatos da intersindical.

O sindicalista referiu que as lutas dos trabalhadores já começaram a dar resultados, nomeadamente com a obtensão de aumentos salariais a rondar os 40 euros, dependendo das empresas e setores de atividade, da transformação de postos de trabalho precários em postos de trabalho efetivos e da reintegração de trabalhadores ilegalmente despedidos.

Arménio Carlos considerou ainda que tem sido a luta dos trabalhadores que tem impedido o Governo de concretizar o processo de privatização de empresas como a TAP, a Carris, o Metro ou a Transtejo.

Admitiu que este processo não está encerrado e, por isso, será "uma das referências da conflitualidade dos próximos tempos".

"O que está em causa são os direitos dos trabalhadores, os serviços públicos e os preços a que são prestados", afirmou Arménio Carlos.

Na intervenção de encerramento do Plenário de Sindicatos, órgão máximo entre congressos, o líder da Inter exortou os mais de 500 sindicalistas presentes a mobilizarem os trabalhadores nos locais de trabalho para que participem ativamente nas manifestações do Dia do Trabalhador, em defesa de melhores condições de vida.

Aliás, na resolução aprovada pelos sindicalistas é assumida a decisão de "comemorar na forma de uma grandiosa manifestação nacional descentralizada da CGTP-in os 125 anos do 1º de Maio".

Arménio Carlos disse à Lusa que existem todos os motivos para "uma grande participação no 1º de Maio", quer dos trabalhadores, quer das suas famílias, e defendeu que esta deve ser "a grande manifestação do primeiro semestre em Portugal".

O sindicalista lembrou ainda que a meta estabelecida no último congresso, há três anos, para conseguir 100.000 novos sindicalizados ao longo do mandato de quatro anos, vai ser cumprida pois em dezembro de 2014 os sindicatos da CGTP já tinham conseguido mais de 76.000 novos sócios. 
Lusa
  • CGTP reafirma a urgência de mudar de políticas
    1:23

    Economia

    A Frente Comum rejeita a ideia de que os funcionários públicos possam ficar mal vistos pelo facto da greve de hoje acontecer a uma sexta-feira, permitindo um fim-de-semana prolongado. A dirigente sindical Ana Avola esteve no arranque da paralisação no hospital São José, em Lisboa, juntamente com Arménio Carlos. O secretário-geral da CGTP reafirma a urgência de mudar de políticas.

  • Polémica sobre offshore intensifica guerra de palavras entre PSD e Governo
    2:39
  • DGO divulga hoje execução orçamental de janeiro

    Economia

    A Direção-Geral do Orçamento (DGO) divulga hoje a síntese de execução orçamental em contas públicas de janeiro, sendo que o Governo estima reduzir o défice para 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em contabilidade nacional em 2017.

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.