sicnot

Perfil

País

Conservatório recebeu garantia do ministro de que haverá dinheiro para obras

A diretora da Escola de Música do Conservatório Nacional (EMCN) disse hoje ter recebido a garantia do ministro da Educação, Nuno Crato, de que haverá dinheiro para obras de fundo na instituição, que ficarão a cargo da Parque Escolar.

"O conservatório tem dois tipos de obras: tem as urgentes e imediatas, e tem obras de fundo que precisam de ser feitas e que nós vamos iniciar, não tenhamos dúvidas sobre isso", declarou Nuno Crato, afirmando que os 43 mil euros para as obras urgentes "correspondem aos orçamentos apresentados pela escola em função das necessidades consideradas inadiáveis". (Arquivo)

"O conservatório tem dois tipos de obras: tem as urgentes e imediatas, e tem obras de fundo que precisam de ser feitas e que nós vamos iniciar, não tenhamos dúvidas sobre isso", declarou Nuno Crato, afirmando que os 43 mil euros para as obras urgentes "correspondem aos orçamentos apresentados pela escola em função das necessidades consideradas inadiáveis". (Arquivo)

Tiago Petinga / Lusa

Ana Mafalda Pernão, diretora da EMCN, foi uma das representantes da comissão de defesa da escola que hoje reuniram com o ministro Nuno Crato, o secretário de Estado da Administração Escolar, João Casanova de Almeida, e com Luís Carvalho, presidente da empresa Parque Escolar, que tem a seu cargo as obras de recuperação das escolas públicas no país.

O encontro de hoje, pedido pela comissão de defesa da EMCN, aconteceu um dia depois de o ministro Nuno Crato ter anunciado no parlamento que o Governo vai "iniciar o processo" para "obras de fundo" no edifício do Conservatório Nacional, uma "fase seguinte" às obras urgentes orçamentadas em 43 mil euros, para reparar telhado, tetos e pátio do edifício, e que aguardam autorização da Direção-Geral do Património Cultural para avançar.

"Foi uma agradável surpresa. O ministro anunciou que haveria dinheiro e que seríamos uma das escolas a integrar nas obras da Parque Escolar", disse à Lusa Ana Mafalda Pernão.

Da reunião saiu a garantia de que nas próximas semanas Luís Carvalho visitaria a escola e de que "num máximo de dois meses" deve estar concluído o programa que vai permitir lançar um concurso internacional de projeto.

"Queremos um projeto de muita qualidade para a escola, queremos requalificá-la para os próximos 50 ou 100 anos", disse a diretora da instituição.

A escola promoveu nas últimas semanas diversas iniciativas públicas e protestos para alertar para a necessidade de obras no edifício.

A degradação da escola levou ao encerramento de 10 salas, por motivos de segurança, deixando muitos alunos sem aulas.







Lusa
  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.