sicnot

Perfil

País

Passos afirma que "depois de tanto tempo" a juventude já encontra oportunidades em Portugal

O primeiro-ministro considerou que hoje os jovens portugueses encontram em Portugal oportunidades depois de "tanto tempo" sem as encontrarem e reafirmou a necessidade e "ambição" de ter mais jovens a concluir o ensino superior.

Olivier Hoslet

Em Braga, para a apresentação do Livro Branco da Juventude, Pedro Passos Coelho admitiu que a juventude foi "particularmente penalizada" com as dificuldades financeiras que o país atravessou e explicou que as projeções para o futuro devem ser feitas com "soluções duradouras" que impeçam o regresso dos tempos de crise.

O primeiro-ministro reafirmou assim a necessidade de Portugal ter finanças públicas "sólidas" e que dessa forma o futuro será de uma "progressão muito mais rápida".

"Se tivemos durante muitos anos jovens que não encontraram em Portugal as oportunidades adequadas temos hoje, cada vez mais, jovens que encontram oportunidades cá e que entendem que Portugal pode ser um bom destino até para jovens de outras nacionalidades", defendeu Pedro Passos Coelho.

Para o chefe do executivo, a "ambição" passa por haver cada vez mais jovens a frequentar o ensino superior.

"Precisamos de ser mais ambiciosos, de levar mais jovens para o ensino superior e precisamos que eles saiam com graus de qualificação cada vez mais elevados e que isso corresponda nas empresas que os podem vir a colher mais capacidade e desempenho e dê crescente valor ao que fazemos", frisou.

Segundo o líder do Governo, os "jovens foram particularmente penalizados por este tempo de crise" e quando se projeta o futuro o melhor a fazer "é encontrar soluções duradouras que impeçam que problemas desta natureza se voltem a colocar".

Por isso, enfatizou a necessidade de continuar com as contas públicas equilibradas.

"Vivemos uma época em que precisamos, reafirmo, de ter Finanças Públicas sólidas para não pôr em causa o futuro como aconteceu no passado recente mas precisamos também de acrescentar a isso uma ambição grande para o futuro", disse.

Aliás, sobre o futuro, Passos afirmou esta manhã que as reformas são para continuar e que "tudo o que existia antes" não pode ser reposto ao mesmo tempo, tendo voltado a insistir numa mensagem de esperança.

"Nós precisamos ainda de levar mais longe as reformas estruturais que estamos a fazer, nomeadamente ao nível do próprio Estado, porque se não podemos repor tudo o que existia antes, que é como quem diz, se não podemos remover todas as medidas extraordinárias de um dia para o outro temos de o fazer gradualmente e enquanto o vamos fazendo nós temos de ir encontrando espaço para que a dívida do Estado não aumente gradualmente, pelo contrário", afirmou o líder do Governo esta manhã.

Agora, e perante uma plateia de jovens, Passos optou por deixar mais uma mensagem de esperança.

"Estou convencido que os próximos anos serão de uma progressão muito mais rápida do que muitos pensam", afirmou.


LUSA
  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • Cinco unidades fabris em Tondela destruídas pelas chamas
    3:06

    País

    As contas finais dos prejuízos na zona industrial de Tondela ainda não são definitivas, mas há cinco unidades fabris que foram atingidas pelas chamas. O aterro sanitário do Planalto Beirão foi também atingido pelo fogo que atravessou Tondela, onde ardeu o equivalente a 20 anos de resíduos orgânicos.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas as fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. A foto é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.