sicnot

Perfil

País

Cavaco Silva vaiado à chegada a têxtil de Famalicão

Cerca de meia centena de trabalhadores e sindicalistas do setor têxtil concentraram-se hoje em protesto contra o corte dos direitos e redução dos salários junto à empresa Riopele, em Famalicão, visitada pelo Presidente da República. À chegada de Cavaco Silva, os manifestantes apuparam o chefe de Estado e ouviram-se gritos que pediam "demissão".

Cavaco Silva faz a quarta jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica.

Cavaco Silva faz a quarta jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica.

ESTELA SILVA/LUSA

Na manifestação constam bandeiras da CGTP e dos sindicatos do têxtil com os manifestantes a reclamarem a "mudança de governo", "mais emprego", "mais salários e mais direitos".

Segundo o Sindicato do Têxtil do Minho e Trás-os-Montes, o novo acordo coletivo de trabalho, que está em negociação, irá "roubar os trabalhadores", designadamente os feriados do Carnaval e o municipal e a majoração de três dias de férias.

A fábrica é visitada por Aníbal Cavaco Silva, no âmbito da quarta jornada do Roteiro para uma Economia Dinâmica.


Com Lusa
  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".