sicnot

Perfil

País

Alberto João Jardim diz-se disponível até para "lavar pratos"

O presidente cessante do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, disse este sábado que vai abandonar em breve as funções públicas pelo que passará a ter tempo para "lavar pratos" se for necessário.

Alberto João Jardim presidiu à sua última inauguração antes das eleições de domingo que ditarão a nova composição da Assembleia Legislativa da Madeira e, consequentemente, o novo Governo Regional.

Alberto João Jardim presidiu à sua última inauguração antes das eleições de domingo que ditarão a nova composição da Assembleia Legislativa da Madeira e, consequentemente, o novo Governo Regional.

TIAGO PETINGA / Lusa

Alberto João Jardim presidiu hoje à sua última inauguração antes das eleições de domingo que ditarão a nova composição da Assembleia Legislativa da Madeira e, consequentemente, o novo Governo Regional.

O chefe demissionário do executivo regional inaugurou hoje um restaurante no concelho de Santa Cruz do comerciante José Manuel Henriques que caracterizou como sendo "um self made man".      

"Eu estou de partida da vida pública, aos 72 anos já tenho idade de ter juízo, foram 37 anos de governo, mais de metade de uma vida mas quero-lhe dizer que, como amigo, eu estou sempre ao seu dispor, de maneira que disponha, se for preciso lavar os pratos também eu venho, não tenho nada para fazer, mas com o acordo você dá-me a sua receita do leitão. O preço que levo é a receita do leitão", gracejou.

Alberto João Jardim pediu ao proprietário do restaurante, especializado em grelhados, para não fazer "aquela comida elaborada que a gente come um pinequinho [petiscar] disto e um pinequinho daquilo".

"Não há nada como um franguinho, um porquinho (...) não faça coisas complicadas, a gente gosta, quando vai almoçar, é almoçar bem, não é para estar a perguntar aquilo o que é, nem ficar com fome", comentou.

Alberto João Jardim disse ter a certeza que o restaurante será "uma coisa de muito sucesso".

"Espero que tenha aqui muitas festas de casamento e de batizados desde que não seja o padrinho para não ter que pagar", ironizou.

O restaurante, com capacidade para 400 pessoas, representa um investimento de 850 mil euros e proporciona 22 postos de trabalho.

 O restaurante é especializado na espetada madeirense mas, na década de 90, o imóvel ficou conhecido como a "casa das massagens", facto recordado por Filipe Sousa, presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz.

"Quando era pequeno conhecia este local como a casa das massagens", facto aproveitado por Jardim para dizer "uma das suas": "Isso quer dizer que você era um pequeno precoce". 
Lusa
  • Ronaldo é o jogador que mais preocupa os marroquinos
    2:35
  • Recorda-se de Tahar? O ex-futebolista marroquino que já jogou em Portugal
    6:10
  • "Somos 11 milhões, queremos ser campeões e as russas são grandes canhões"
    3:54
  • Denis Cheryshev: o orgulho dos anfitriões

    Mundial 2018 / Rússia

    O avançado Denis Cheryshev foi eleito o Homem do Jogo entre Rússia e Egito, que os russos venceram por 3-1. Marcou o segundo golo dos anfitriões, o terceiro em nome próprio no Mundial e juntou-se a Cristiano Ronaldo no topo da lista de melhores marcadores. Aos 27 anos e a jogar o primeiro Mundial da carreira, Cheryshev continua a assumir-se como um dos principais rostos da esperança russa para o sucesso desta campanha. Depois de já ter sido o melhor em campo no triunfo sobre a Arábia Saudita, a nação anfitriã vê-o como uma espécie de porta-estandarte do orgulho russo na defesa da pátria.

  • Gato Achilles acerta no resultado do Rússia-Egito

    Desporto

    O gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. Depois de ter acertado na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita, o felino voltou a apostar na equipa certa, com os russos a vencerem esta terça-feira o Egipto por 3-1.

  • "Não tenho que debater nada com Bruno de Carvalho, só tenho que fazer cumprir os estatutos" 
    10:43
  • "Quando o Cristiano Ronaldo te convidar para almoçar, recusa"

    Desporto

    Na possibilidade de ser convidado por Cristiano Ronaldo para um almoço ou jantar, recuse. Este é o conselho de Patrice Evra, que revelou o "sofrimento" que passou quando aceitou almoçar em casa do capitão da seleção nacional, na altura em que ambos jogavam pelo Manchester United. O jogador francês falou sobre a comida "demasiado saudável" e o exercício que acabou por ter de fazer, enquanto podia estar a descansar.

    SIC

  • Ronaldo no País dos Sovietes: O espetáculo fora das quatro linhas
    2:30
  • "Quero ir com a minha tia", o desespero das crianças afastadas dos pais nos EUA
    2:11