sicnot

Perfil

País

Presidente da CAP elogia "grandes atributos técnicos" de Sevinate Pinto

 O presidente da Confederação de Agricultores Portugueses (CAP), João Machado, afirmou hoje que é com "uma tristeza muito grande" que se despede do antigo ministro da Agricultura Sevinate Pinto, que morreu esta noite, elogiando os seus "grandes atributos técnicos".

"É uma tristeza muito grande, era um amigo, era uma pessoa que tinha grandes atributos técnicos na área da agricultura. Trabalhou a vida inteira [no setor], era ele próprio agricultor e foi também assessor do Presidente da República, onde fez um trabalho notável", disse à Lusa João Machado, acrescentando que "é uma perda não só para os amigos mas também para a agricultura".



Natural de Ferreira do Alentejo, no distrito de Beja, Armando José Cordeiro Sevinate Pinto morreu esta noite num hospital de Lisboa, aos 69 anos de idade.



Licenciado em Engenharia Agrónoma pelo Instituto Superior de Agronomia, Sevinate Pinto foi ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas do XV Governo Constitucional PSD/CDS-PP, liderado por Durão Barroso, entre 06 de abril de 2002 a 17 de julho de 2004.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.