sicnot

Perfil

País

Agentes da PSP integram patrulhas policiais em localidades de Málaga

Dois agentes da polícia portuguesa PSP vão integrar patrulhas da polícia espanhola da esquadra de Torremolinos-Benalmádena (Málaga, Andaluzia) para lidar com os estudantes portugueses que se deslocam a estas localidades por motivo das denominadas visitas de estudo.

Os agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) têm estado na Andaluzia desde 20 de março, uniformizados e em viatura policial própria, informou a polícia espanhola. (Arquivo)

Os agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) têm estado na Andaluzia desde 20 de março, uniformizados e em viatura policial própria, informou a polícia espanhola. (Arquivo)

Francisco Seco / AP

Os agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) têm estado na Andaluzia desde 20 de março, uniformizados e em viatura policial própria, informou a polícia espanhola.

O objetivo é o de estar perto do turista, nomeadamente estudantes portugueses, e poder atendê-los - em caso de necessidade - no seu idioma natal.

No sentido inverso, quatro agentes da Polícia Nacional espanhola vão prestar serviço nas esquadras de Lisboa e de Braga de 1 a 6 de abril, para reforçar a assistência aos turistas espanhóis que se deslocam a Portugal na Semana Santa.

Integrada no projeto "Esquadras Europeias", a iniciativa das polícias espanhola (Polícia Nacional), portuguesa (PSP) e francesa (Police Nationale) visa um trabalho conjunto para reforçar a atenção ao turista em pontos turísticos chave.

Assim, três agentes franceses (que também falam castelhano) vão prestar serviço na esquadra do Centro de Madrid até 6 de abril, datas em que as ruas da capital espanhola se enchem de turistas. Farão patrulhas a pé ou em veículo e darão apoio a vítimas de delitos, na formalização de denúncias ou mesmo na prevenção de delinquência.

De 01 a 06 de abril, 20 agentes espanhóis irão para diferentes cidades francesas - Carcassonne, Nimes, Versalhes, Avignon, Marselha, entre outras - e também atuarão no parque DisneyLand Paris de forma intermitente, de abril até final do ano.

A polícia nacional espanhola participa na iniciativa "Esquadras Europeias" desde 2008. Participam no projeto agentes de países europeus como Portugal, França, Espanha, Itália, Bélgica, Alemanha, Luxemburgo ou Holanda.
Lusa
  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31