sicnot

Perfil

País

Santana diz que próximo Presidente deve "promover mudanças"

Santana diz que próximo Presidente deve "promover mudanças"

O antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes voltou a sugerir que Marcelo Rebelo de Sousa se perfila como "um quase candidato" às presidenciais de 2016. Ontem à noite, num debate organizado pelo PSD, Santana Lopes considerou que o próximo chefe de Estado deve promover mudanças no país.

Pedro Santana Lopes e o ex-secretário-geral da CGTP Manuel Carvalho da Silva participaram no debate "Percursos feitos - Desafios atuais", no âmbito de uma iniciativa dedicada a Francisco Sá Carneiro, organizada pelo PSD da Moita, que decorreu na Biblioteca Municipal.

"É importante perceber o que cada um dos possíveis candidatos presidenciais pensa sobre o país. O próximo Presidente da República tem que se assumir muito como chefe de Estado, na prática, pois já passou o tempo do Presidente sentado no seu lugar", afirmou.

Santana Lopes referiu que o Presidente da República tem que ser "proactivo e próximo dos cidadãos", de modo a conseguir resolver alguns problemas.

"Tem que estar acima dos poderes do Estado e ser institucionalmente solidário, seja qual for a cor do Governo. Não há países em que o Presidente da República e o primeiro-ministro discutam em público. Em Portugal parece que existem datas marcadas para o Presidente divergir, como por exemplo o discurso do 25 de Abril ou do ano novo", defendeu.

Por seu turno, Carvalho da Silva referiu que é preciso construir um "novo compromisso" para o país, considerando que é necessário valorizar a produção, revalorizar as classes médias e conseguir acordos em relação ao trabalho.

"O Presidente da República não é o Governo, mas tem obrigação de interpretar o seu papel, envolver o cidadãos e trazer questões para a agenda política. O atual fez muitas coisas más, que fizeram desvalorizar o seu papel", disse.

Já Santana Lopes afirmou que, com o fim do segundo mandato do Presidente da República e com as eleições legislativas, se está a encerrar um ciclo e que é preciso fazer um "relatório e contas".

"Temos que fazer um relatório e contas. O país chegou a este ponto e agora, neste fim de ciclo, não podemos escolher as mesmas vias e as mesmas pessoas. A sociedade precisa de uma revolução, depois deste relatório, para um novo ciclo. Temos que ver o que cada um fez e o que se propõe a fazer", frisou.

Carvalho da Silva defendeu, por sua vez, que é preciso romper com o passado.

"A sociedade tem sido dominada pelas mesmas estruturas de elite e, como estamos a chegar a uma fase nova, precisamos de um Presidente que rompa com esta lógica e traga coisas novas. Tem que saber interpretar o seu papel, mas tem que ser capaz de responder aos anseios do povo", concluiu.


Com Lusa
  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.