sicnot

Perfil

País

Dois afogados na Figueira da Foz são uma jovem chinesa e um amigo indiano

As duas pessoas que morreram hoje afogadas no mar da Figueira da Foz são uma jovem de nacionalidade chinesa, de 24 anos, e um amigo indiano, de 23 anos, informou o comandante local da Polícia Marítima.

Paulo Inácio, também capitão do Porto da Figueira da Foz, adiantou que as vítimas estavam a estudar em Portugal, no Porto, e encontravam-se de férias naquela cidade balnear do distrito de Coimbra.

"Estavam a jogar a bola, na Praia do Relógio", disse, explicando que um dos jovens foi à água com o objetivo de recuperar a bola, "mas viu-se em dificuldades", tendo o outro ido em seu socorro, acabando os dois por morrer afogados.

Após terem sido resgatados por meios da Polícia Marítima local e da Autoridade Marítima Nacional, os náufragos foram levados para terra, na margem sul da foz do Mondego, e ainda sujeitos a manobras de reanimação, mas sem sucesso, tendo uma equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) declarado os óbitos.

O responsável da Capitania do Porto da Figueira fez um apelo para que as pessoas, "nesta altura do ano, tenham maior precaução" quando estão junto ao mar, mantendo-se "afastadas da linha de água", já que não existe vigilância nas praias nesta época, além da instabilidade do mar e maior força das ondas.

Estiveram envolvidas nas buscas duas embarcações e uma mota de água, enquanto os Bombeiros Voluntários da cidade participaram nas operações em terra.

Os corpos foram removidos para o Gabinete-Médico Legal do Hospital Distrital da Figueira da Foz.

Lusa

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".