sicnot

Perfil

País

Assaltantes trancaram donos da casa e fugiram

Assaltantes trancaram donos da casa e fugiram

A Polícia Judiciária está a investigar o assalto desta manhã a uma casa, no Furadouro, no concelho de Ovar. Três pessoas estiveram retidas dentro da habitação durante cerca de três horas: o casal de proprietários, com cerca de 70 anos, e uma empregada. Foram presos pelos assaltantes numa casa de banho da moradia. As autoridades estão agora à procura dos assaltantes. O comandante da PSP de Aveiro, Sérgio Loureiro, explica como foram libertadas as três pessoas.

  • Polícia retira família retida em habitação no Furadouro, Ovar
    6:21

    País

    A PSP conseguiu entrar dentro da moradia de Furadouro, Ovar, onde um casal na casa dos 70 anos e uma empregada estiveram retidos, libertando as pessoas em causa. Pouco antes das 12:30 e cerca de quarto horas após o alerta para o caso, as persianas da residência, que se encontravam fechadas, foram abertas e foi possível ver elementos da PSP no seu interior. A repórter da SIC Ana Paula Vieira está a acompanhar o caso e registou em direto o esclarecimento das autoridades.

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.