sicnot

Perfil

País

GNR fica sem sistema automático de identificação de impressões digitais

A GNR encerrou este ano os quatro locais onde era feita a identificação de impressões digitais de suspeitos de crimes através de um sistema automático, por falta de manutenção, revelou a Associação Nacional de Sargentos da Guarda (ANSG).

© Goran Tomasevic / Reuters

Para a associação que representa os sargentos da GNR, o encerramento das estações de Aveiro, Castelo Branco, Lisboa e Santarém, onde funcionava o AFIS (sistema automático de identificação de impressões digitais), vai "atrasar todo o processo de investigação criminal", permitindo que muitos criminosos fiquem por identificar em tempo útil do julgamento.  

Em funcionamento desde 2012 na GNR, o AFIS permite em poucos minutos identificar um suspeito através da introdução das impressões digitais, copiadas do local do crime, num computador. 

O presidente da ANSG, José Lopes, adiantou à agência Lusa que a Guarda Nacional Republicana foi "forçada a desligar" as quatro estações AFIS, estruturas da responsabilidade da corporação, devido "à falta de contrato de manutenção".

Segundo José Lopes, as estações AFIS, onde estão os terminais que fazem a ligação à base de dados nacionais de impressões digitais, têm vindo a ser desligadas desde o início do ano por falta de manutenção, tendo sido a de Santarém a última a ser encerrada, em março.

O presidente da ANSG considerou também que esta situação vai "colocar em causa não só a comparação lofoscópica das impressões recolhidos nos locais dos crimes, como consequentemente impossibilidade de identificação e detenção dos seus autores".

Segundo José Lopes, os militares da GNR da investigação criminal vão ter agora que enviar para o Laboratório da Polícia Científica (LPC) da Polícia Judiciária, onde está centralizada a base de dados, os vestígios lofoscópicos de suspeitos, recolhidos em locais de crimes, o que vai atrasar todo o processo. 

De acordo com a ANSG, as quatro estações AFIS foram adquiridas pela GNR em 2012, num investimento que rondou o meio milhão de euros, incluindo a formação dos polícias e aquisição dos terminais.

O projeto AFIS resultou de um acordo entre a PJ, PSP e GNR.

A PSP tem quatro estações AFIS: Unidade Especial de Polícia, Comandos de Lisboa, Porto e Setúbal.

O Comando-Geral da GNR foi contactado  para obter esclarecimentos sobre os motivos do encerramento das estruturas em Aveiro, Castelo Branco, Lisboa e Santarém, mas até ao momento não obteve qualquer resposta.

Lusa

  • Debate quinzenal no Parlamento: veja em direto e comente

    País

    As políticas de descentralização foram o tema escolhido pelo Governo para o debate quinzenal, mas a situação na Caixa Geral de Depósitos também deve marcar os trabalhos na Assembleia da República. Acompanhe aqui a discussão e participe no Minuto a Minuto SIC/Parlamento Global.

    Direto

  • Prioridades para a CGD: cortar custos e aumentar receitas
    2:16

    Caso CGD

    O principal objetivo do plano estratégico para a Caixa Geral de Depósitos, a que a SIC teve acesso, é cortar custos e aumentar receitas. A grande aposta da nova administração passa por apertar as regras para emprestar dinheiro e, por outro lado, recuperar o crédito que não está a ser pago.

  • Turismo da Madeira investe mais de 3 milhões de euros no programa de festas
    2:22

    País

    A Madeira já vive a época de Natal. O turismo da região investiu mais de 3 milhões de euros no programa de festas de Natal e Fim de Ano para atrair os turistas. Os residentes e também turistas aproveitam para desfrutar do ambiente mágico proporcionado pelas tradicionais iluminações à mistura com as decorações e gastronomia típicas da quadra.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54
    Futuro Hoje

    Futuro Hoje

    3ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    A Leica, das famosas máquinas fotográficas, abriu na semana passada a primeira loja em Portugal. Grande parte da produção da marca alemã é feita em Lousado, em Vila Nova de Famalicão, há 43 anos.