sicnot

Perfil

País

Pai que matou bebé fica em prisão preventiva

O homem que esfaqueou mortalmente o filho de 6 meses em Linda-a-Velha fica em prisão preventiva a aguardar julgamento. Ouvido hoje no Tribunal de Cascais, desta vez não terá confessado o crime, alegando que não se lembra do que aconteceu.

O arguido voltou hoje ao tribunal de Cascais, transportado numa viatura descaracterizada da polícia.

O arguido voltou hoje ao tribunal de Cascais, transportado numa viatura descaracterizada da polícia.

SIC

A decisão foi lida à imprensa à porta da instituição por um funcionário judicial e confirmada pela advogada de defesa no local.  Foi tido em conta o perigo de fuga, a continuidade de atividade criminosa e a natureza do crime - considera o juiz que o homem está fortemente indiciado da prática de homicídio qualificado.

Perante o tribunal, o homem prestou declarações, mas não terá confessado o crime, apurou a SIC, afirmando que não se lembra do que aconteceu.

Já tinha sido ontem presente ao juiz de instrução criminal em Cascais. Contudo, o interrogatório não decorreu e foi adiado para esta manhã por falta de agenda do tribunal.

O homem assumiu à PSP ter esfaqueado mortalmente o filho, em Linda-a-Velha, no concelho de Oeiras, na quarta-feira, dia em que foi detido. O bebé ainda foi assistido no local por peritos de emergência médica do Hospital São Francisco Xavier, de Lisboa, mas, segundo o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), acabou por morrer ali.


  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Al Gore e Garry Kasparov vão estar na Web Summit

    Web Summit

    Al Gore, antigo vice-Presidente dos Estados Unidos da América, Garry Kasparov, lendário jogador de xadrez, e Steve Huffman, o dirigente e cofundador da rede social Reddit são os novos nomes anunciados para a 2.ª Web Summit em Lisboa.

  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.