sicnot

Perfil

País

Dezoito distritos do continente em risco elevado de incêndio

Dezoito concelhos dos distritos de Santarém, Castelo Branco, Coimbra, Viseu, Vila Real, Porto e Viana do Castelo apresentam hoje risco elevado de incêndio, de acordo com informação disponível na página da Internet do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

(SIC/ Arquivo)

O IPMA colocou ainda os concelhos do Sardoal (Santarém), Vila de Rei e Oleiros (Castelo Branco), Góis, Arganil e Pampilhosa da Serra (Coimbra), Castro Daire, São Pedro do Sul, Tarouca, Viseu e Vila Nova de Paiva (Viseu), Valongo (Porto), Chaves, Valpaços, Murça e Vila Pouca de Aguiar (Vila Real), Monção e Caminha (Viana do Castelo)

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, variando entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 de cada dia, da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação ocorrida nas últimas 24 horas.

No domingo, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 70 incêndios que foram combatidos por 653 bombeiros, apoiados por 185 veículos.

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, aumentando temporariamente de nebulosidade nas regiões do interior durante a tarde, possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos e dispersos na região norte durante a tarde.

Está também previsto vento fraco a moderado do quadrante leste, rodando temporariamente para noroeste na faixa costeira a norte do cabo Espichel durante a tarde e soprando moderado no Algarve e nas terras altas, pequena subida da temperatura mínima nas regiões do litoral norte e centro e pequena subida da temperatura máxima.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 14 e 25 graus Celsius, no Porto entre 13 e 26, em Vila Real entre 11 e 25, em Bragança entre 9 e 24, em Viseu entre 10 e 24, em Coimbra entre 14 e 26, em Castelo Branco entre 12 e 24, na Guarda entre 8 e 20, em Évora entre 10 e 25, em Beja entre 12 e 26 e em Faro entre 13 e 21
  • Negócios do fogo
    22:00
  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.

  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43