sicnot

Perfil

País

GNR intensifica controlo de velocidade a partir de hoje

Mil e trezentos militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) estão a partir de hoje nas ruas numa operação de intensificação do controlo de velocidade no âmbito da uma operação promovida pela European Traffic Police Network (TISPOL), anunciou a GNR.

(SIC/ Arquivo)

Entre hoje e domingo, a GNR irá realizar 700 ações de controlo de velocidade sobretudo nas vias onde as infrações por excesso de velocidade são mais frequentes, designadamente nas autoestradas e nas vias situadas no interior de localidades, informa a GNR em comunicado.

Esta operação, que pretende combater o flagelo da sinistralidade rodoviária associada ao excesso de velocidade, decorrerá em todos os países da Europa e enquadra-se no planeamento de operações definido pela TISPOL, organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa, no qual a GNR é representante nacional.

Desde o início de 2015, foram controlados 2.487.577 condutores, dos quais 52.212 circulavam em excesso de velocidade. 

Perante estes números, o combate à sinistralidade rodoviária continua a ser uma prioridade estratégica da GNR, estando planeadas para o presente ano diversas operações nacionais, com empenhamento intensivo e simultâneo de meios de modo a salvaguardar a segurança dos portugueses na estrada.

Lusa
  • Negócios do fogo
    22:00
  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.

  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43