sicnot

Perfil

País

Greve dos trabalhadores ferroviários causa perturbações na circução de comboios na quinta-feira

A greve dos trabalhadores da CP, Comboios de Portugal e da Refer vai causar perturbações e supressões na circulação de comboios na próxima quinta-feira, que se podem começar a sentir já no final da tarde de quarta-feira.

LUSA/ ARQUIVO

Em comunicado, a CP informou que a greve convocada por diversas organizações sindicais para contestar as decisões recentes do Governo para o setor causará perturbações e supressões em todos os serviços, devendo a circulação reduzir-se a cerca de um quarto da oferta habitual.

De acordo com os serviços mínimos definidos pelo Tribunal Arbitral nomeado pelo Conselho Económico e Social, nos serviços de longo curso (Alfa Pendular e Intercidades) e regional realizam-se cerca de 30% das ligações programadas e nos urbanos cerca de 25%.

Aos clientes que já tenham bilhetes adquiridos para comboios dos serviços Alfa Pendular, Intercidades e Regional que não se realizem, a CP permitirá o reembolso no valor total do bilhete adquirido, ou a sua revalidação, sem custos, para outro dia ou outro comboio, esclarece a empresa.

A greve de quinta-feira abrange trabalhadores de cinco empresas, CP, CP Carga, Refer, EMEF e Estradas de Portugal (EP), que contestam a privatização da CP Carga e da empresa de manutenção ferroviária, a fusão da EP com a Refer e a concessão de linhas da CP.

Na passada quinta-feira, o Governo aprovou em Conselho de Ministros a fusão da Estradas de Portugal e da Refer na Infraestruturas de Portugal, que será uma realidade a 1 de maio ou a 1 de junho, dependendo da promulgação do diploma pela Presidência da República.

Duas semanas antes, o Governo tinha aprovado os processos de privatização da CP Carga e da EMEF, que deverão estar concluídas até ao final da legislatura, depois de um longo processo negocial com Bruxelas sobre as ajudas do Estado às duas empresas.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.