sicnot

Perfil

País

"Não vou falar de eleições, há poeira a mais no ar", diz Rui Rio

O social-democrata Rui Rio, que garante não ser um D. Sebastião, escusou-se a falar de eleições porque "há poeira a mais no ar", esperando que o próximo Presidente da República reúna consensos para reformar o regime.

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

JOSE COELHO

O antigo presidente da Câmara do Porto foi um dos convidados que segunda-feira à noite participou nas "Conversas de Abril", ciclo de colóquios promovido pela Câmara de Gondomar, e à chegada foi questionado pelos jornalistas sobre uma eventual candidatura à Presidência da República, sendo Rui Rio um dos nomes falados no centro-direita, ainda sem qualquer candidato assumido, juntamente com o ex-líder do PSD Marcelo Rebelo de Sousa e o antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes.

"Não vou falar de eleições, há poeira a mais no ar. Conhecem-me já há muitos anos e não entro nessa poeira. Sim, se assentar a poeira depois vê-se. Há muita conversa, muita coisa", respondeu.

Perante a insistência dos jornalistas, o antigo presidente da Câmara do Porto garantiu que não iria falar sobre as próximas eleições - legislativas ou presidenciais - "de certeza absoluta".

Já dentro do auditório onde decorreu a conferência, Rui Rio não se livrou do tema das eleições e de qual o papel que poderá assumir no panorama nacional e, quer do moderador, quer do público, surgiram diversas e diferentes perguntas sobre o seu futuro político, questão que nunca esclareceu.

O social-democrata disse que gostaria que o próximo Presidente da República "se dedicasse bastante a reunir e fomentar esses consensos no sentido da reforma do regime", considerando que esta atuação terá que ser "sóbria e recatada", uma vez que o chefe de Estado "tem que interferir pouco, bem e certo" e fora dos holofotes.

Na sequência de uma sugestão que partiu de um elemento do público - que Rio seria muito mais útil como primeiro-ministro do que como Presidente da República -, o antigo autarca da Câmara do Porto foi perentório: "Eu não sou nenhum D. Sebastião. Não sou dono das soluções".

Rui Rio recordou ainda que, ao longo da vida partidária, sempre criticou aqueles que "estavam permanentemente a tentar deitar abaixo o líder do partido", condenando quem "destabilizava a vida do partido" e reiterou uma ideia que já defendeu, de que quando o partido tem um líder que é primeiro-ministro, "compete-lhe a ele a decisão de se recandidatar ou não".

"Quando as pessoas têm uma exposição muito grande é que podem ficar desgastadas", comentou Rio
  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC