sicnot

Perfil

País

Durão Barroso reafirma que não será candidato a Belém

O antigo primeiro-ministro e presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, reafirmou esta quarta-feira que não será candidato a Presidente da República, mas elogiou as caraterísticas do perfil de presidente traçado pelo atual residente em Belém, Cavaco Silva.

© Francois Lenoir / Reuters

"Já o disse publicamente e tenho de ser coerente e consequente com o que disse: Não serei candidato a Presidente da República. Já o disse há bastante tempo. Para mim esse assunto, agora, está encerrado do ponto de vista pessoal", disse Durão Barroso à agência Lusa, à margem da Cimeira do Conselho Mundial de Turismo e Viagens, a decorrer em Madrid.

Em março, Cavaco Silva considerou que um Presidente da República deve ter experiência e domínio da política externa; formação, capacidade e disponibilidade bem como um conhecimento de causa dos assuntos políticos, militares, económicos, sociais, científicos, culturais e ambientais. Por outro lado, afirmou que um chefe de Estado deveria ter capacidade de apresentar e argumentar ideias e experiência na política europeia.

Confrontado com este perfil, que se encaixa no seu próprio percurso político, o ex-primeiro-ministro (PSD) reafirmou que não será candidato, mas admitiu - sem se alargar em comentários - que existem "existem excelentes candidatos", e com as características traçadas pelo atual Presidente.

 "Mas há com certeza excelentes candidatos e espero que possamos escolher - eu também vou votar - um bom presidente da República, que poderá ter essas características que o atual presidente, Cavaco Silva, apontou como desejáveis. Aliás, parece-me sem dúvida um elenco bastante positivo de características", disse Durão Barroso.

Sobre a polémica em torno da escolha de um candidato na área do PS, Durão Barroso escusou-se a comentar.
Lusa
  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão