sicnot

Perfil

País

Estádio Cidade de Coimbra inundado em vários pisos após forte chuvada

O Estádio Cidade de Coimbra sofreu esta quarta-feira inundações "gravíssimas" nos vários pisos do edifício depois da forte chuvada que se registou à hora de almoço, disse o presidente da Académica, José Eduardo Simões.

Fonte dos Bombeiros Sapadores disse que, além do Estádio Cidade de Coimbra, as zonas mais afetadas foram a Rua do Brasil, Praça 08 de maio e Praça da República, mas que ainda não era possível quantificar os pedidos recebidos. (Arquivo)

Fonte dos Bombeiros Sapadores disse que, além do Estádio Cidade de Coimbra, as zonas mais afetadas foram a Rua do Brasil, Praça 08 de maio e Praça da República, mas que ainda não era possível quantificar os pedidos recebidos. (Arquivo)

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Falando à margem da apresentação da parceria entre o clube e a Comissão da Queima das Fitas, o dirigente adiantou que a parte sul do estádio foi a mais afetada, nomeadamente no segundo e terceiro piso.

"São situações gravíssimas que não podem acontecer. Existem problemas técnicos que têm de ser resolvidos e se a Câmara (dona do edifício) não consegue, temos de ser nós a resolvê-los", sublinhou.

José Eduardo Simões salientou que "quem está no estádio não pode sofrer as consequências da má infraestruturação" do imóvel, cuja situação tem sido abordada em diversas ocasiões entre o município e o clube, uma vez que o problema não é novo.

Segundo o presidente da Académica, o vereador Carlos Cidade deslocou-se ao início da tarde ao local, acompanhado de alguns técnicos da Câmara Municipal.

A chuva intensa que caiu hoje à hora de almoço na cidade de Coimbra provocou várias inundações em habitações, lojas e na via pública, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro.

Segundo a mesma fonte, a chuva forte começou a fazer-se sentir pouco antes das 13:00 e prolongou-se durante cerca de 30 minutos.

Fonte dos Bombeiros Sapadores disse à agência Lusa que, além do Estádio Cidade de Coimbra, as zonas mais afetadas foram a Rua do Brasil, Praça 08 de maio e Praça da República, mas que ainda não era possível quantificar os pedidos recebidos.

Às 17:15, acrescentou, várias equipas ainda estavam na rua e os pedidos de intervenção ainda não tinham parado.

Fonte oficial da Câmara confirmou à agência Lusa a presença no estádio do vereador Carlos Cidade e de técnicos da autarquia e da Protecção Civil.

"A preocupação, hoje e sempre, é proteger pessoas e bens. Foi ativado o dispositivo de proteção civil e emergência e os meios estão no terreno", disse a mesma fonte.
Lusa
  • Cheias voltam ao Parque Verde do Mondego em Coimbra
    1:46

    País

    Sempre que chove com mais intensidade, o Parque Verde do Mondego, em Coimbra, é das primeiras zonas da cidade a ficarem inundadas. Os donos dos cafés e restaurantes queixam-se de prejuízos avultados e apontam o dedo ao assoreamento do Mondego.

  • CM Coimbra exige inquérito para apurar causa das cheias no rio Ceira
    2:14

    País

    A Autoridade Nacional de Proteção Civil vai investigar as causas da subida do nível do rio Ceira que no sábado causou cheias em vários concelhos do distrito de Coimbra. Na povoação do Cabouco, 12 casas ficaram inundadas, causando prejuízos ainda por contabilizar. Populares dizem que a subida repentina da água não pode ser atribuída apenas à chuva. A ruptura de quatro metros numa conduta de transvase na barragem do alto do Ceira foi apontada, no sábado, como causa. A autarquia exigiu um inquérito para apurar responsabilidades e introduzir alterações nos sistemas de alerta.

  • Quando se confunde o pedal do travão com o acelerador
    0:38

    Mundo

    Na China, chegam imagens de um acidente fora do normal. Um homem parou o carro e saiu para cumprimentar um amigo. Enquanto conversavam, a viatura começou a descair lentamente. O condutor correu de imediato para o carro. Com as mãos já no volante, tentou evitar o pior mas em vez de carregar no travão, carregou no acelerador.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.